Política

Temer volta a minimizar impacto da Operação Carne Fraca

Temer levou ministros e embaixadores de países para jantar em uma churrascaria em Brasília no domingo – Reprodução/Twitter

O presidente Michel Temer voltou a minimizar as irregularidades na produção de carnes identificadas pela Operação Carne Fraca, deflagrada nesta sexta-feira (17) pela Polícia Federal.

“Temos cerca de 4.800 plantas de frigoríficos no Brasil, só três plantas foram interditadas, e além delas mais 18 ou 19 serão investigadas” , afirmou durante discurso na manhã desta segunda-feira (20) em evento da Câmara de Comércio Americana.

“Ademais disso, convenhamos que o Ministério da Agricultura tem 11.300 servidores, e são 30 e poucos servidores envolvidos e que serão investigados, portanto um número diminuto”, disse Temer.

As falas são parte do esforço do governo de contenção de danos sobre a indústria brasileira após operação da PF apontar esquema de corrupção entre empresas do setor -entre elas JBS e BRF- e fiscais do Ministério da Agricultura para burlar o cumprimento de regras sanitárias.

O presidente passou o domingo em encontros com representantes do setor e embaixadores estrangeiros e jantou em uma churrascaria.

O peemedebista, porém, não comentou a suspensão das empresas investigadas pela União Europeia e nem a suspensão temporária das importações por China, Chile e Coreia do Sul, anunciadas nesta segunda. Temer também não falou com a imprensa.

De acordo com o governo, ao longo de 2016, das 853 mil partidas de produtos de origem animal do Brasil para o exterior, apenas 184 foram consideradas fora de conformidade.

Diante de uma plateia de empresários, Temer terminou o discurso com um apelo por mais investimentos. “Quem apostar no Brasil vai ganhar”, disse.

Fernanda Perrin
Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir