Economia

Tecnologia agrícola melhorou a economia no Brasil

trator1

Desde a entrada em massa da tecnologia agrícola no Brasil na década de 30 do séc. XX com os tratores agrícolas e outras máquinas de cultivo, bem como, sistemas de rega e conservação houve já uma grande evolução não só em termos das máquinas e da tecnologia utilizada mas também no investimento efetuado no setor.

Assim, é importante fazer uma análise dos resultados deste investimento e o impacto que tiveram na economia do Brasil. Para começar, no que a algumas tecnologias diz respeito, como é o caso dos tratores e das máquinas que deles derivaram, constatando a importância e impacto que elas tinham na produtividade e lucro para os produtores, o Governo do Brasil decidiu em 1959 criar a Indústria Nacional dos Tratores Agrícolas que no ano seguinte viria a proibir a importação de tratores em todo o território nacional. Isto gerou um aumento de postos de trabalho interno e o aparecimento de vários postos de venda e manutenção dos tratores. Aumentou a formação dos mesmos e relacionou-se diretamente com a indústria automóvel já bem implementada na altura. Isto também reduziu o preço dos tratores o que, em última análise, também aumentou a rentabilidade dos produtores que, em muitos casos, não estavam a conseguir adquirir a tecnologia devido ao crescente preço imposto pela importação.

trator2

Ao mesmo tempo, o desenvolvimento destas máquinas em território nacional permite também desenvolve-las de forma personalizada aos terrenos e culturas no país e, por fim, também aumentar o rendimento através de exportações para outros países. Por outro lado, as principais produções no Brasil como o café, cana-de-açúcar, algodão ou feijão tem vindo a ser cada vez mais lucrativas e, tal fato, resulta diretamente da qualidade e inovação tecnológica presente nas máquinas agrícolas aliadas a novos tipos de agricultura que minimizam custos, tempo e processos, aumentando a rentabilidade, produtividade e qualidade das culturas e produções.

Tendo em conta que, atualmente, a agricultura representa cerca de 20% das exportações nacionais o que se traduz em 12% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, esta questão ganha ainda mais peso, uma vez que, torna-se evidente que a maximização de lucros e produção resultantes do uso e implementação de tecnologias neste setor se traduzem numa grande fatia das receitas do país. Ao mesmo tempo, com o aumento de população nos centros urbanos o desemprego nestas áreas cresce e como o setor agrícola ganha cada vez mais importância é também um fator que pode levar pessoas a sair desses centros urbanos e trabalhar neste setor em crescimento e de extrema importância.

Por tudo isto, fica confirmado que a agricultura e o investimento em tecnologia para a mesma representam um grande incentivo na economia do Brasil em diversos níveis e que poderá marcar uma nova fase de transição econômica resultante do crescimento e desenvolvimento do país.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir