Esportes

Técnico Heriberto da Cunha testa mudanças no time titular do Nacional

Edson Rocha (à esq.) ganhou uma vaga no time titular, enquanto Rodrigo Dantas (à dir.) perdeu espaço e foi parar na formação reserva – foto: Ione Moreno

Edson Rocha (à esquerda) ganhou uma vaga no time titular, enquanto Rodrigo Dantas (à direita) perdeu espaço e foi parar na formação reserva – foto: Ione Moreno 

A semana começou repleta de mudanças no Nacional. Após o pedido de afastamento do diretor de futebol do clube, Gilson Mota, o técnico Heriberto da Cunha também promoveu alterações no time considerado titular. Insatisafeito com a exibição do time em Cuiabá (MT), ele mexeu em todos os setores da equipe, que treinou na tarde de ontem no CT Barbosa Filho.

Um dos principais alvos da torcida, o goleiro Roberto Gomes deu lugar a Thiago Régis. Na zaga, o também criticado Fabiano foi sacado e Edson Rocha treinou no time titular. No meio de campo, Osmar foi substituído por Hugo. Já no ataque, Rodrigo Dantas, que não agrada os nacionalinos há muitas partidas, foi trocado por Rafael Silva.

Questionado sobre as mudanças, o comandante leonino minimizou as alterações na equipe titular e despistou sobre as trocas. A única garantia dada por Heriberto é de que o time será mais ofensivo em relação aquele que disputou a partida em Cuiabá.

“Tem que ser o mínimo possível. Nossa equipe, no momento que encaixou, perdemos três jogadores, que foram Charles, Wanderley e Vitor. Aí tivemos que montar uma equipe novamente, qu ainda não encaixou tão bem quanto a outra. Temos que ter equilíbrio, paciência e procurar fazer o melhor. É óbvio que vamos mexer para este jogo, precisamos entrar bem mais ofensivos para que possamos fazer o resultado”, disse o técnico do Nacional.

Atitude

De acordo com o treinador leonino, mais do que mudanças no time titular, a equipe precisa apresentar um postura diferente daquela que culminou na derrota por 2 a 0 para o Dom Bosco-MT. Para ele, os jogadores têm de entrar em campo com mais atitude, já que, para avançar à segunda fase da Copa do Brasil, o Nacional precisa vencer por uma vantagem de três gols de diferença. Se triunfar pelo mesmo placar do primeiro duelo, a decisão da vaga será definida nos pênaltis.

“ A atitude tem que ser 100% diferente do que foi lá. Como eu falei, lá fomos um time apático, que não teve reação. Deu um branco em todos e a gente não sabe nem o porquê. Perguntamos aos jogadores se tomaram alguma coisa ou se dormiram demais. A gente não sabe o porquê a equipe teve aquela atitude. Foi a primeira vez que isso aconteceu e prejudicou bastante. Nesse jogo nós temos que tomar atitude, entrar com uma postura diferente para fazer o resultado”, afirmou Heriberto.

‘O torcedor tem razão de reclamar’

Na última sexta-feira (22), um grupo de torcedores do Nacional invadiu o CT Barbosa Filho para protestar contra o rendimento do time na derrota em Cuiabá. Os muros do local foram pichados pedindo a saída de Gilson Mota – que pediu afastamento do cargo de diretor de futebol do clube no fim de semana, alegando problemas pessoais – e do goleiro Roberto Gomes, que no treino de ontem estava no time reserva. Para o técnico do Leão da Vila Municipal, o torcedor está no seu direito de cobrar um melhor desempenho da equipe.

“Isso é normal. O torcedor tem razão de reclamar, ele quer o melhor do seu time, nós queremos mais ainda, porque nós somos profissionais e vivemos disso. Então, queremos sempre o resultado positivo. É trabalhar, tranquilizar o grupo, que é um jogo decisivo, eles têm maturidade para isso, são jogadores que passaram até por momentos piores. Está em nossas mãos fazer um bom jogo, reverter o resultado para que a gente consiga avançar para a outra fase”, avaliou Heriberto.

 

Por André Tobias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir