Dia a dia

Técnico em informática matou a esposa porque ela havia pedido a separação, diz PC

José Eloy afirmou em depoimento que não se lembra de nada do dia do crime, na Compensa - foto: Thais Gama/do AGORA

José Eloy afirmou em depoimento que por conta de uma ‘lapso de consciência’ não recorda do crime – foto: Thais Gama/do AGORA

O técnico em informática José Eloy dos Santos Cardoso, 32, foi apresentado na tarde desta sexta-feira (13), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Zona Leste, suspeito de ter assassinado a esposa Ruth Mouta Cacela, 32, no último dia 11 deste mês, em uma lan house de propriedade da vítima, localizada na avenida Oscar Borel, bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

Segundo relatos de familiares da vítima, José é usuário de drogas e Ruth teria ajudado a interná-lo em clínicas de reabilitação por diversas vezes. Recentemente, ele teria saído de uma internação. A vítima e o suspeito, segundo testemunhas, estavam em conflito, pois a empresária havia pedido o divórcio na manhã do dia do crime, em razão de não suportar mais o vício do companheiro.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, o corpo de Ruth foi encontrado no início da manhã do último dia (12), no interior da lan house. “Ela estava caída no chão e apresentava vários hematomas e escoriações no rosto. Segundo análise preliminar de peritos do Instituto Médico Legal (IML), o autor teria batido a cabeça da vítima várias vezes contra o chão até deixa-la sem vida, causando traumatismo craniano”.

O casal se casou em 2011 e possui uma filha de 3 anos de idade. A família residia nos altos da lan house. Em depoimento, José relatou que no momento do crime, ele teria discutido com a esposa no estabelecimento comercial, ocasião em que teria tido um ‘lapso de consciência’. Ele afirma que não se recorda se agrediu a vítima ou não. Ao vê-la morta, ele fugiu para casa do pai.

José Eloy foi atuado em flagrante por homicídio qualificado, por motivo fútil, e após os procedimentos legais será encaminhado a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro.

 

Por Equipe EM TEMPO Online

Com informações de Thais Gama/do AGORA

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir