Economia

Taxas abusivas cobradas por empresas de rádio táxi são denunciadas pela categoria

A comissão da UTM informou que, caso a solicitação de redução da cobrança de taxa de antecipação de boleto não seja atendida, a categoria não vai aceitar pagamento em boleto. – foto: divulgação

A comissão da UTM informou que, caso a solicitação de redução da cobrança de taxa de antecipação de boleto não seja atendida, a categoria não vai aceitar pagamento em boleto. – foto: divulgação

A União dos Taxistas de Manaus (UTM) procurou a reportagem do EM TEMPO Online, na manhã desta terça-feira (29), para denunciar a alta taxa de serviços e antecipação  de boletos que vêm sendo cobrados por empresas de rádio táxi, na capital.

Os taxistas solicitam a redução da cobrança das taxas e antecipação do boleto que, segundo eles, tem taxas de até 22% sobre o valor da corrida, quando o decreto determina  que a taxa seja no máximo de 4%. A lei  foi revogada pela Superintendência Municipal de Transporte Urbanos (SMTU) foi  no dia 18 de dezembro de 2013.

Para o taxista José Pinheiro, a taxa cobrada é um absurdo. “Não podemos aceitar isso. Estamos saindo no prejuízo. Após o decreto ser revogado, as empresas de rádio taxi se acharam livres para cobrar o que querem”, questionou.

A comissão da UTM informou que, caso a solicitação de redução da cobrança de taxa de antecipação de boleto não seja atendida, a categoria não vai aceitar pagamento em boleto.

O vice-presidente da cooperativa Golfinho rádio taxi, Edmilson Almeida, explicou que a taxa de 65% é cobrada por todos os taxistas que são conveniados e que, nesse valor estão inclusas as despesas tributárias e administrativas. Já referente ao valor de 22% cobrado no adiantamento de boletos. O vice-presidente informou também que é necessário ser cobrado esse valor por se tratar de um adiantamento.

“Todas essas despesas estão incluídas nessa taxa. O taxista só tem o trabalho de vim até a empresa trocar o boleto, mas ele não sabe que temos que  pagar a taxa do banco. Quando você quer fazer um adiantamento de algum pagamento tem que ser cobrado alguma postagem em cima do valor. Se eles não querem que seja cobrado esse valor, que para eles é absurdo, têm que esperar o dia certo para o pagamento. Eles têm lucro de 78% nas corridas de convênio”, explicou Almeida.

O vice-presidente ainda  disse que todos os taxistas conveniados na empresa têm alguns benefícios como auxilio doenças. Em caso de acidente, a cooperativa que pagará o prejuízo.

Na próxima quinta-feira (29), a comissão dos taxistas, juntamente com o sindicato e os representantes das  empresas de rádio táxi de Manaus, se reunirão com a Comissão de Defesa do Consumidor, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), para discutir o assunto. Foram convidadas as empresas de Rádio Táxi Ajuricaba, Manauara, Tocantins, Golfinho, Tucuxi, Solimões, Recife, Cidade Nova, Parintins e Manaus.

A reportagem entrou em contato com a SMTU, porém, até o momento desta postagem não obtivemos resposta.

Por Mara Magalhães

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir