Cultura

Tapete vermelho, música, rosas e descontos marcam o Dia Internacional da Mulher

Bares e restaurantes criam condições especiais com a proposta de celebrar o Dia Internacional da Mulher em Manaus, durante a semana (alguns durante todo o mês). - Foto: Divulgação

Bares e restaurantes criam condições especiais com a proposta de celebrar o Dia Internacional da Mulher em Manaus, durante a semana (alguns durante todo o mês). – Foto: Divulgação

Tapete vermelho, champanhe e descontos especiais marcam o Dia Internacional da Mulher em bares e restaurantes de Manaus. Pensando em atrair o público feminino nesta data especial, bares e restaurantes da capital apostam em um dia diferente e agradável para elas. Rock, MPB e outros gêneros também dão o toque especial na noite de hoje (e nas seguintes também).

No restaurante Barollo, por exemplo, o gerente Rogério Simioni, explicou que a promoção de drink em dobro foi pensada por conta do grande número de clientes do sexo feminino. ”A casa é especializada em drinks. Na pedida do famoso drink Moscow Mule ou um Cosmopolita, as mulheres ganham mais um coquetel à sua escolha. Pensamos nisso para homenagear, uma vez que elas representam aproximadamente 70% do nosso público”, revela.

O restaurante Barollo fica localizado na rua Rio Ituxi, 290, Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus e funciona diariamente das 11h30 às 23h.

Com o cardápio surpresa e diferenciado, o restaurante Chef Tony, localizado no conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul, também procurou se destacar na comemoração do Dia da Mulher. Música ao vivo, tapete vermelho e recepção calorosa com taça de espumantes são a atração da noite de hoje.

Embora não funcione às terças-feiras, o Jack ‘n’ Blues Snooker Pub traz atração especial na quinta-feira (10). Com a presença da vocalista Evellyn Castro, da banda EV5, e Ramilly Araújo, do grupo Riamside, a casa noturna não deve cobrar valor de couvert para mulheres. “Não íamos ficar de fora. Não abrimos na terça – que é justamente o Dia Internacional da Mulher, mas transferimos a data para a quinta e reunimos vocalistas mulheres para darem o tom da noite”, conclui o proprietário e gerente da casa, César Portuga. O Jack está localizado na rua Nova Palma, 945, conjunto Vieiralves, bairro Nossa Sra. das Graças, Zona Centro-Sul.

Mulheres também serão bem recepcionadas no restaurante Banzeiro Comida Amazônica, localizado na rua Libertador, 102, bairro Nossa Sra. das Graças. O chefe catarinense Felipe Schaedler, revelou que as mulheres irão ganhar flores na entrada do restaurante, como forma de simbolizar o cuidado, a beleza e a sensibilidade das damas.

Durante todo o mês de março, as frequentadoras do Porão do Alemão também são bem recebidas com pista liberada e desconto de 50% na área VIP. Um dos destaques é a programação de sexta-feira (11), que traz especial para quem é fã de metal, com o Especial “Black Album”, do Metallica, com uma banda formada excepcionalmente para fazer o show, a Remorse, que é a união de músicos da Monochrome e Nekrost.

Regada a alta gastronomia e jazz, o restaurante Belle Époque prepara mais uma edição jazzística no clima de homenagens ao Dia Internacional da Mulher. Amanhã, o restaurante recebe a banda HaJazz Trio, com Humberto Amorim (voz), Robson Silva (piano) e Leonardo Pimentel (bateria). A programação tem início a partir das 20h30. O restaurante leva assinatura do “masterchef” francês Erick Jacquin.

No repertório estão canções românticas e que falam de amor, especialmente para as mulheres, com músicas do “Great American Songbook”, composto por Cole Porter, George e Ira Gershwin, Gerome Kerne, Irving Berlin, Henry Mancini e Tom Jobim. Na programação musical estão ainda “It had to be You”, “Night and day”, “The way you look tonight”, “All of me”, “Got you under my skin”, e “Nice and easy”. Reservas e informações podem ser obtidas pelo telefone: (92) 98413-2428 e e-mail belleepoquemanaus@gmail.com.

Data

O Dia Internacional da Mulher acontece a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York ocorrido em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram. Elas estavam prestes a reivindicar pelos seus direitos trabalhistas. O incêndio é um marco na luta pela igualdade de sexos.

Por Luis Henrique Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir