Esportes

Talento do futebol amazonense sofre com ausência de patrocínio

 Keké conta que vem mantendo a esperança de fazer parte de um grande clube do futebol brasileiro - foto: Josemar Antunes

Keké conta que vem mantendo a esperança de fazer parte de um grande clube do futebol brasileiro – foto: Josemar Antunes

O atleta Carlos Kevin Lima da Gama, 17, o ‘Keké’, é mais um talento amazonense que segue seu sonho de fazer parte do cenário do futebol nacional, mas esbarra com a falta de patrocínio.

A reportagem do EM TEMPO esteve com jogador, que acumula no currículo duas aprovações em peneiras realizadas pelos clubes cariocas – Botafogo e Fluminense.

Keké – como gosta de ser chamado -, apelido que ganhou carinhosamente do ex-jogador da década de 70, Jairzinho, durante uma peneira do alvinegro carioca no ano de 2013, conta que vem mantendo a esperança de fazer parte de um grande clube do futebol brasileiro.

De uma família tradicional de boleiros, o atleta é primo dos ex-jogadores, Delmo, que atuou pelo São Raimundo e, Diego Lima, o ‘Folha’, ex-lateral esquerdo do Nacional.

A promessa do futebol amazonense vem se destacando nas peneiras em que disputa na capital. Na última vez, foi descoberto pelo olheiro do tricolor carioca Paulo Nascimento, onde foi aprovado no mês de novembro de 2014, porém a falta de patrocínio acabou adiando o sonho do jovem atleta.

“Assim que passei na peneira do Fluminense, a diretoria do clube me deu um prazo de 20 dias para conseguir as passagens, mas acabei perdendo a oportunidade por falta de patrocínio. Meu pai recorreu com os empresários, mas eles não acreditam no potencial do atleta”, argumentou.

Para manter a forma, o centroavante treina no Real Barça, equipe que defenderá na disputa do Peladão deste ano. Mesmo fazendo parte da escolinha do Nacional Futebol Clube, o atleta também participou da peneira do clube da Vila Municipal, onde foi aprovado, mas segundo o jovem talento, a direção ficou de chamá-lo quando surgisse uma oportunidade na posição que atua.

“Já pensei em desistir depois de ouvir muito não na cara, mas o meu primo Delmo sempre me incentiva para que eu não venha desistir, assim como a minha família tem me dado muito apoio. Espero que um dia eu possa realizar o meu sonho e representar o meu Estado”, disse.

O atleta conta que se espelha no atacante do Flamengo Guerreiro e no próprio Delmo. Mesmo sem ter o apoio de patrocinadores, o atleta segue com garra treinando na busca de fazer parte de uma grande equipe do futebol.

Por Josemar Antunes

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir