Holofotes

Tais Araújo presta depoimento após ser vítima de injúria racial

 

Tais apresentou provas de que foi alvo de comentários preconceituosos - foto: reprodução

Tais apresentou provas de que foi alvo de comentários preconceituosos – foto: reprodução

A atriz Taís Araújo prestou depoimento, na tarde desta quarta-feira (4), na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, zona norte do Rio. Tais apresentou provas de que foi alvo de comentários preconceituosos após postar uma foto em uma rede social, no último sábado (31).

A investigação sobre o caso foi anunciada pela Polícia Civil ainda no dia da postagem, após a atriz desabafar nas redes sociais sobre as ofensas e o caso ganhar repercussão. O inquérito, no entanto, foi aberto somente após ela formalizar a queixa.

“O inquérito teve abertura nesta quarta pois este crime é de ação penal pública condicionada à representação, ou seja, a vítima precisa prestar queixa para a investigação ter início. A vítima trouxe provas, como cópias dos comentários, e vamos tentar identificar os autores”, afirmou o delegado Alexandre Thiers.

De acordo com o delegado, a partir das provas entregues, os policiais vão tentar identificar não somente os autores das ofensas como as pessoas que reproduziram os comentários preconceituosos. “Tanto quem a ofendeu diretamente, mesmo usando um perfil falso, quanto quem compartilhou as ofensas, mesmo sem ter feito outro comentário adicional, será responsabilizado pelo crime de injúria racial”, disse.

Ainda segundo Thiers, o crime de injúria racial é a ofensa a uma pessoa e não à coletividade, o que constituiria o crime de racismo. Para a injúria, a previsão de pena é de até três anos de prisão. No caso das ofensas à atriz, a pena terá o agravo de ter sido realizada pela internet, o que aumenta a condenação em um ano de reclusão.

O delegado solicitou que vítimas de ofensas raciais procurarem a delegacia para que este tipo de crime não fique impune.

“A internet não é uma página em branco onde você pode escrever suas angústias, preconceitos e ficar impune. Tudo o que é publicado na internet gera consequências, inclusive criminais”, ressaltou.

Ainda no final de semana, Taís fez um desabafo na mesma rede social em que foi ofendida. “É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar: na última noite, recebi uma série de ataques racistas na minha página. Absolutamente tudo está registrado e será enviado à polícia federal. E eu não vou apagar nenhum desses comentários.”

O episódio gerou comoção nas redes sociais, e a hashtag #SomosTodosTaisAraujo tornou-se uma das mais populares no Twitter. Após a polêmica, a maioria das postagens racistas foi apagada.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir