Dia a dia

Susam solicita do Ministério da Saúde credenciamento para transplante de coração

Francisca-Mendes

A Susam solicitou ao Ministério da Saúde o credenciamento do serviço de transplante de coração – foto: divulgação

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) solicitou ao Ministério da Saúde o credenciamento do serviço de transplante de coração, para começar a oferecer na unidade da rede pública de saúde, Fundação do Coração Francisca Mendes.

“Estamos com as equipes treinadas e a estrutura toda pronta para iniciar a oferta de mais este serviço de alta complexidade, inédito na rede pública do Amazonas. Ficaremos agora na expectativa da manifestação do Ministério”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim.

Nesta quinta-feira (21), como parte dos preparativos para a implantação do novo programa de transplantes, a Fundação Francisca Mendes promove o ‘Simpósio Multidisciplinar de Transplante Cardíaco’, que acontece a partir das 8h, no auditório da instituição.

“O evento foi organizado pelo Centro de Ensino e Pesquisa (CEP) do hospital, como estratégia para reforçar o processo de incorporação de mais esta atividade na rotina da nossa unidade. Alguns dos profissionais treinados ao longo destes últimos três anos de preparativos, irão expor alguns temas, que são centrais nesse processo e precisam ser compartilhados com toda a equipe”, explicou o diretor da fundação, Pedro Elias Souza.

O cirurgião cardíaco transplantador Ronaldo Barros, do Instituto do Coração (InCor), de São Paulo, foi convidado para participar do simpósio e fará uma das palestras do evento. O Incor, que é vinculado ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), é a instituição tutora do programa de transplantes que será implantado no hospital amazonense.

A coordenadora estadual de Transplantes, Leny Passos, fará a abertura da programação de palestras.  Ela disse que a expectativa é grande em torno desta importante ampliação do programa estadual, que já oferece transplantes de córnea, de rins e de fígado. “De todos esses procedimentos, o transplante de coração é, como costumo dizer, o mais exigente, quando se trata dos critérios de compatibilidade entre o doador e o receptor. Isso aumenta nossa expectativa”, disse a coordenadora.

A estimativa da coordenação estadual de Transplantes é que aproximadamente 50 pessoas estejam na fila de transplante cardíaco no Estado. Atualmente, essas pessoas aguardam pelas doações feitas à Central Nacional de Transplante e, uma vez selecionadas para receber o órgão, são submetidas ao procedimento em unidades de referência de São Paulo ou no Ceará, com o apoio do Programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir