Sem categoria

Susam divulga balanço de atendimento, durante o carnaval

unidades_moveis_de_saude_2

O balanço reúne apenas informações sobre atendimentos relacionados aos principais eventos causados por fatores externos – foto- divulgação

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) registrou 783 atendimentos à vítimas de ocorrências por causas externas, como agressão, ferimento causado por arma de fogo, arma branca e acidentes de trânsito por moto, carro ou atropelamento, durante o período do Carnaval. Os dados são das unidades de urgência e emergência da capital, no período entre as 6h da manhã da última sexta-feira (5) e as 6h desta quarta-feira (10). A rede é formada por nove Spa’s, Um Upa e Sete prontos-socorros.

 

O balanço reúne apenas informações sobre atendimentos relacionados aos principais eventos causados por fatores externos. Os dados não incluem os demais procedimentos realizados pela rede de urgência.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, no total, as unidades atenderam 388 vítimas de acidentes de trânsito, no período, sendo 235 por acidente de moto, 114 colisões de automóveis e 39 atropelamentos.

“Assim como tem acontecido em anos anteriores os acidentes de trânsito têm causado boa parte dos atendimentos das urgências e emergências, neste período. Mesmo com diversas campanhas de conscientização a imprudência dos condutores ainda é muito grande”, disse.

Para o secretário, os números evidenciam a necessidade de ampliar as ações intersetoriais, voltadas para a formação de condutores mais conscientes de suas responsabilidades.

A segunda maior causa de atendimentos durante os dias de Carnaval foram as agressões (225), seguido dos ferimentos por arma branca (119) e arma de fogo (51).

 

A terça-feira (9) foi o dia mais violento, com 212 atendimentos relacionados a causas externas, seguido do domingo, com 181, segunda-feira (08), com 147 e sexta-feira (5), com 65 atendimentos.  Foram contabilizados, ainda, 28 mortes – esse número  considerando todos os atendimentos e não somente ocorrências por causa externa.

O secretário-adjunto de Atenção Especializada da capital, Wagner William de Souza, ressalta que os números registrados no Carnaval de 2016 estão  dentro da média dos anos anteriores. Ele chama atenção para o fato de que esses dados se referem a causas externas, portanto, podem e devem ser evitados. “Esses números refletem a ação do homem que insiste, por exemplo,  em beber e dirigir um veículo. O álcool inclusive é o principal motivador de todas essas ocorrências”, acrescentou.

 

Em alerta

A rede de urgência e emergência da Susam adotou, neste período de Carnaval, o mesmo modelo de plano de contingência utilizado na Copa do Mundo de 2014. Isto significa que se mantiveram em alerta e preparadas para dar respostas rápidas, em situações que viessem a exigir a ampliação da capacidade de atendimento.

No hospital e pronto-socorro 28 de Agosto foram registrados 3.900 atendimentos, durante o Carnaval. Já no hospital e pronto-socorro Dr. João Lúcio Pereira Machado foram contabilizados 1.690 atendimentos.

 

Ocorrências no Sambódromo

No posto de atendimento da Susam no Centro de Convenções Sambódromo foram contabilizados 43 atendimentos, de sexta-feira a segunda-feira. O principal motivo foi o excesso de bebida alcoólica e crises de cefaléia (dor de cabeça).

 

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir