Sem categoria

Sufoco e risco no acesso a ônibus nos terminais de Manaus

O empurra-empurra ocorre no acesso ao ônibus da linha 678, que faz o percurso Jorge Teixeira (Zona Leste) à Ponta Negra (Zona Oeste) e 652 Jorge Teixeira/Centro, ambos da empresa Global Green - foto: Josemar Antunes

O empurra-empurra ocorre no acesso ao ônibus da linha 678, que faz o percurso Jorge Teixeira (Zona Leste) à Ponta Negra (Zona Oeste) e 652 Jorge Teixeira/Centro, ambos da empresa Global Green – foto: Josemar Antunes

Preço justo e bons serviços no transporte público de passageiros em Manaus ainda são inconciliáveis. O valor cobrado ao usuário do setor e as condições de transporte oferecidos são incompatíveis. Na Justiça, os empresários obtiveram um reajuste de 12,37% na tarifa. O preço da passagem subirá dos atuais R$ 3 para R$ 3,55.

No terminal de integração T5, no bairro São José, na Zona Leste, ter acesso ao coletivo no primeiro horário de circulação das linhas só com muito sufoco e algum risco. A cena é recorrente. Amontoados na plataforma, passageiros se espremem na porta dos veículos. Alguns entram pelas janelas. O flagrante foi registrado pelo EM TEMPO, na última semana, durante a madrugada, também nos terminais T3, no bairro Cidade Nova, Zona Norte e no T4, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste.

T5-foto_Josemar Antunes

Os passageiros se arriscam pela janela para embarcar no ônibus – foto: Josemar Antunes

O empurra-empurra ocorre no acesso ao ônibus da linha 678, que faz o percurso Jorge Teixeira (Zona Leste) à Ponta Negra (Zona Oeste) e 652 Jorge Teixeira/Centro, ambos da empresa Global Green. A regra ali é cada um por si. Os passageiros alegam que o intervalo entre um ônibus e outro, no horário das 5h30, é de 20 a 30 minutos, o que eles consideram longo, além de atrasar a chegada ao trabalho. Em alguns momentos, os veículos chegam ao terminal já cheios e o acesso fica mais difícil.

O empurra-empurra ocorre no acesso ao ônibus da linha 678, que faz o percurso Jorge Teixeira (Zona Leste) à Ponta Negra (Zona Oeste) - foto: Josemar Antunes

O empurra-empurra ocorre no acesso ao ônibus da linha 678, que faz o percurso Jorge Teixeira (Zona Leste) à Ponta Negra (Zona Oeste) – foto: Josemar Antunes

“Isso aqui acontece todo dia. Do jeito que vai, pode ocorrer até morte. Não adianta só aumentar a tarifa de ônibus, tem que mudar tudo para corrigir o problema”, declara a comerciária Inês Santos da Costa, 36. “Além da falta de ônibus em número suficiente para atender a demanda, há ainda o risco de assaltos nas plataformas de embarque e desembarque”, completa o carpinteiro José Antônio da Silva, 49.

Para a diarista Maria dos Santos Bezerra, 41, é um sufoco diário embarcar nos ônibus, no T5. “Eu sempre me machuco, porque as pessoas não esperam a gente descer ou entrar no ônibus. É muita gente e não dá para ser rápida. O jeito é entrar nesse empurra-empurra”, informa Maria, que sai do bairro Grande Vitória para ir ao trabalho, na Ponta Negra.

Caso isolado

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram) informa que, no caso da linha 678, o problema ocorreu, na última quinta-feira, com um veículo de apoio da linha. A invasão do coletivo, pelas janelas, resultou na danificação da estrutura do coletivo.

Por não haver formação de filas, a empresa Global Green informou que solicitou apoio à Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU). Conforme a empresa, durante a semana a linha 678 opera com 12 ônibus e o horário de saída deles do terminal de linha varia entre dez e 15 minutos.

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir