Esportes

Solberg e Evandro buscam mais uma medalha olímpica no vôlei de praia

A disputa pelo ouro começa na sexta-feira (5), data da abertura dos jogos - foto: divulgação

A disputa pelo ouro começa na sexta-feira (5), data da abertura dos jogos – foto: divulgação

O local é bem próximo de onde os dois treinam habitualmente, na zona sul do Rio de janeiro. O tempo, no entanto, é que não era dos melhores: no lugar do sol – uma característica do esporte e da cidade – o céu se apresentava cinzento, quase negro, e o vento que chegou com a frente fria deixava o ar gelado em prenúncio de chuva.

Era nestas condições que a dupla de vôlei de praia, estreante em jogos olímpicos, dava prosseguimento ao treinamento para o primeiro jogo da modalidade na Rio 2016. Alheios ao vento e também ao céu cinzento, Pedro Solberg e Evandro treinavam exaustivamente para manter uma tradição: o Brasil sempre ganhou medalhas em um esporte ainda jovem nos jogos olímpicos, mas que já nos deu muitas alegrias.

Após mais um treino no Centro de Capacitação Física do Exército, na Urca, zona sul da cidade, os dois limpavam a areia espalhada pelo corpo para atender a um batalhão de jornalistas de várias partes do mundo, ávidos por informações.

“Foi aqui pertinho, nas areais de Copacabana que tudo praticamente começou. Somos  pioneiros no esporte e será muito importante para nós estarmos representando o Brasil nesta Olimpíada, em uma arena belíssima – a maior em que já joguei – numa das mais belas praias do mundo”, disse Evandro.

Para ele, estar perto da torcida brasileira poderá ser um fator importante na hora de tentar o ouro olímpico. “Será muito importante para a nossa participação estarmos com a torcida ao nosso lado. Estaremos em casa, ao lado dos amigos, da família, e este será um fator importante para irmos em busca da medalha”, disse.

Pedro Solberg, parceiro de Evandro, também ressaltou a presença da torcida, mas considerou importante uma boa estreia contra a dupla cubana: “É uma dupla que não conhecemos muito pois eles não participam do circuito, mas já ganhamos d em um jogo difícil no mundial, portanto é uma dupla forte. Mas nós estudamos o jogo deles bastante e o importante é entramos com a nossa energia característica e jogarmos com leveza, alegria e descontração, que é a nossa característica”.

Solberg lembra que, para chegar aos Jogos do Rio, eles deixaram para trás duas duplas tradicionais: “Será um orgulho enorme representar o Brasil, E para estarmos aqui,  vencemos duas das maiores duplas de todos os tempo no país. Vencer duplas como a de Alíson e Bruno (atuais campeões) e Ricardo e Emanuel, a maior dupla de todos os tempos, só faz aumentar a nossa responsabilidade. Então, a gente fica feliz e honrado por termos sido escolhidos. Sem dúvida é uma pressão maior sendo brasileiro, um país que sempre conquista medalhas” disse o atleta.

A disputa pelo ouro começa na sexta-feira (5), data da abertura dos jogos.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir