Política

Smith e Zaidan deixam governo Melo

Após 9 anos ininterruptos e três governos, o secretário-chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, oficializou na tarde de ontem o seu pedido de exoneração do cargo. Ele fica até o final do mês para atender ao pedido do governador José Melo (Pros), informou à reportagem.

Zaidan justificou sua saída afirmando que “estava na hora”, haja vista que está na carreira pública há 22 anos e que permanece no cargo até dia 31 para poder fazer a transição do cargo para seu substituto. “Agora vou me dedicar à minha família e ao meu escritório de advocacia e retornar a minha profissional original”, comentou.

Ele relembra que nos 9 anos que atuou como secretário da Casa Civil nos governos de Eduardo Braga (PMDB), Omar Aziz (PSD) e José Melo, não teve nenhuma decepção. “Esta foi a melhor fase da minha vida. Fiz amigos e trabalhei com três bons governadores”, destacou. Ele também já atuou como secretário da Casa Civil na gestão do então prefeito de Manaus, Alfredo Nascimento (PR).

Outra baixa no governo Melo foi a do procurador-geral do Estado, Clóvis Smith. AO EM TEMPO, ele explicou que decidiu entregar o cargo após 5 anos na função para se dedicar à carreira acadêmica e se preparar para provas e elaboração de projetos, já que pretende concorrer a mestrados em várias instituições de ensino. “Eu já havia conversado com o governador sobre esta minha intenção de participar de uma seleção de mestrado. Expliquei que era o que desejava no momento, agradeci e pedi a minha exoneração. Agora, quem assumirá a minha vaga é a doutora Heloísa Simonetti, que chefiava a procuradoria administrativa”, adiantou. Por enquanto, ele continuará ajudando-a na transição.

O ex-procurador comenta que sua saída foi harmônica e que o governador Melo atendeu um pedido dele e que tudo correu tranquilamente. “Continuo torcendo pelo governo e me coloco à disposição da doutora Heloísa. A ideia é continuar contribuindo. Desde ontem, estamos participando de reuniões internas, passando para ela todos os assuntos relevantes. Ela é uma pessoa que tem muita experiência”, comentou. “Foi uma experiência enriquecedora, entrei ainda jovem, com 33 anos e acho que desempenhei bem minhas funções”, relembrou.

Fabiane Moraes
Jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir