Economia

Site divulga CPF sem autorização e expõe consumidores a fraudes

Além da busca pelo nome, o site NomesBrasil também oferece informações sobre o número de pessoas que compartilham o mesmo primeiro nome e sobrenome daquela cujos dados foram procurados – foto: Ricardo Oliveira

Além da busca pelo nome, o site NomesBrasil oferece informações sobre o número de pessoas que compartilham o primeiro nome e sobrenome daquela cujos dados foram procurados – foto: Ricardo Oliveira

Um site que divulga sem autorização o CPF de brasileiros tem causado preocupação de pessoas que temem ser vítimas de fraudes devido à exposição dos dados. Na página, basta colocar o nome para achar o CPF correspondente.

Além da busca pelo nome, o site NomesBrasil também oferece informações sobre o número de pessoas que compartilham o mesmo primeiro nome e sobrenome daquela cujos dados foram procurados.

A reportagem tentou entrar em contato com o administrador da página, mas não obteve resposta até a publicação da reportagem. Na internet, uma petição pública para retirar o site do ar já tem mais de 112 mil assinaturas.

A preocupação é que, de posse dos dados, o fraudador consiga contratar serviços no nome da vítima, afirma Fernando Cosenza, diretor de marketing, inovação e sustentabilidade da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito).

“Não vemos finalidade ou necessidade para pessoas bem-intencionadas usarem essa informação. Mas alguém mal-intencionado pode usar os dados para fraudes”, afirma.

É possível também fazer crediários no nome da vítima, que só vai descobrir o golpe quando estiver com o nome sujo, alerta Dirceu Gardel, da Boa Vista. “Com o nome e o CPF, o criminoso pode fazer uma identidade falsa e parcelar compras em lojas que tenham sistemas de análise menos rigorosos”, afirma.

Só em fevereiro, a empresa de informações financeiras Serasa Experian diz ter registrado 145.534 fraudes envolvendo roubo de identidade.

“Também é possível consultar a situação do contribuinte junto à Receita Federal. Essa brecha abre uma gama muito extensa de possibilidades de golpes”, adverte o advogado Alexandre Gontijo, do escritório Siqueira Castro.

Procurada, a Receita Federal informou não ter relação com o vazamento das informações. Para Gontijo, do escritório Siqueira Castro, é possível que a origem dos dados seja cadastro preenchidos em sites na internet ou em estabelecimentos comerciais.

“Não são todas as pessoas que têm o CPF exposto. O meu, por exemplo, não está disponível”, afirma.

Interpelação judicial

Quem tiver o nome exposto pode apelar para uma interpelação judicial para retirar as informações da página. “Mas normalmente esse tipo de site está ligado a uma pessoa fictícia”, destaca Gontijo.

“O mais seguro é pedir para as autoridades responsáveis retirarem o site do ar, porque é uma arma poderosa para fraudadores”, afirma o advogado.

Em São Paulo, o Ministério Público Federal diz já ter recebido duas denúncias contra o site -uma em Campinas e outra em Franca. Ambas foram registradas na semana passada e já foram encaminhadas para os procuradores que ficarão responsáveis pelo caso, informou o órgão, em nota.

Há denúncias também em Estados como Espírito Santo, Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia, Santa Catarina e Pernambuco.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir