Política

Sinetran fala de fraude em gratuidade

Enquanto o debate em torno do Passe Livre estudantil está parado na Câmara Municipal de Manaus (CMM), outro tema referente ao transporte coletivo vem à tona: o impacto da gratuidade no sistema de transporte de Manaus. Conforme dados do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Sinetran), o setor acumula prejuízos anuais de R$ 3 milhões, o que representa 75% da gratuidade.

Os números – coletados no mês passado por meio do sistema de bilhetagem eletrônica em que apontou a fraude – foram repassados pelo presidente do Sinetran, Carmine Furletti ao presidente da Comissão de Transportes da CMM, vereador Rosivaldo Cordovil (PTN). Diante desse quadro, o parlamentar disse ao EM TEMPO que vai protocolizar um ofício no Ministério Público do Estado (MPE) solicitando que sejam apuradas fraudes na gratuidade e, se for o caso a aplicação de penalidades aos usuários que praticam o ato com suas carteiras de gratuidade, entre as quais advertências e suspensão ou perda da carteirinha, dependendo de como será interpretada a infração pelo órgão.

Furletti disse que a partir do momento que o passageiro frauda o pagamento de uma passagem, ele está repassando a conta para um usuário que paga normalmente. Ele espera que o sistema de biometria seja regularizado o mais rápido possível para que os índices de fraudes possam ser reduzidos.

“Ninguém está sendo punido ainda. Mas o nosso sistema de biometria facial está implantado em todos os ônibus da frota. Esse assunto foi debatido com a CMM e será levado para o Ministério Público. Também será informado à população e à prefeitura. Lembramos que o usuário cuja carteirinha o sistema apontar fraude será notificado e só depois, se ele não se regularizar junto ao Sinetran, será punido”, salienta Furletti.

Para isso, o Sinetran implantou o sistema de biometria facial, onde no momento em que o passageiro atualizar seu cadastro, será feito uma foto e quando passar na catraca, o validador fará fotos para comparar a identidade do titular da carteirinha.

De acordo com a vereadora Vilma Queiroz (PHS), que compõe a base do prefeito na Câmara, a ideia de realizar o levantamento é muito importante uma vez que mostra as contradições do sistema. “Nosso maior entrave é organizar e controlar esses usuários por meio do novo sistema de biometria facial. Paralelo a esse controle, planejamos por meio de sugestão da Comissão de Transporte a penalização de usuários, após comprovada a má utilização do serviço”.

Por Mairkon Castro

1 Comment

1 Comment

  1. giuliano zimine

    24 de novembro de 2015 at 18:18

    Os fakes burros que parecem aqui sequer sabem interpretar o textos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir