Sem categoria

Sinduscon elege nova diretoria

Sinduscon

O pleito realizado na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas obteve 94 votos válidos sendo 49 para a chapa Gestão Construtiva e 45 para a chapa União, que teve como presidente Porfírio Saldanha e vice-presidente, Jorge Souto Maior. foto Divulgação

O empresário Frank do Carmo Souza venceu, nesta quarta-feira (2) a eleição do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (Sinduscon-AM) para o cargo de presidente, ao lado do vice-presidente, Zacarias Bichara para administrar a entidade patronal pelo próximo triênio.

O pleito realizado na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas obteve 94 votos válidos sendo 49 para a chapa Gestão Construtiva e 45 para a chapa União, que teve como presidente Porfírio Saldanha e vice-presidente, Jorge Souto Maior.

A nova diretoria tem como desafio a retomada dos investimentos. “O setor da construção civil sofreu forte impacto negativo em virtude da desaceleração dos investimentos públicos. O programa Minha Casa Minha Vida sofreu cortes vitais para a sua continuidade assim como as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Esses projetos que nasceram no âmbito da CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção, com a participação do Sinduscon Amazonas são fundamentais para o desenvolvimento do país, com destaque para o Amazonas, que carece de apoio de todas as esferas de poder para progredir. Continuaremos lutando a nível local e nacional, buscando a retomada destes e outros investimentos”, afirmou o presidente eleito.

No período de 2011 a 2012, a construção civil atingiu o ápice de 90.000 empregos formais no Amazonas. Atualmente, o número de trabalhadores com carteira assinada está em torno de 70.000. Entre as estratégias para conter as demissões, Frank do Carmo definiu como ações o fortalecimento do setor a partir da desburocratização dos serviços públicos, redução quantitativa e em percentual das taxas, impostos e alíquotas que oneram as obras e acarretam prejuízos para a sociedade.

Durante o mandato de três anos, a nova diretoria pretende também lutar pela instituição de tratamento diferenciado para a construção civil com redução da pesada carga tributária, o que permitiria alavancar a cadeia produtiva, mantendo a competitividade das empresas. A formatação de parcerias público-privada e concessões também faz parte da plataforma de trabalho como uma alternativa para superar a escassez de recursos públicos, garantindo a continuidade das obras.

 

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir