Economia

Sindicatos arrecadam mais R$ 78 milhões no Amazonas em 2016

A Federação das Indústrias do Estado do Amazonas teve uma das maiores arrecadações em 2016, um volume de R$ 1,4 milhão – Divulgação

As entidades sindicais do Amazonas arrecadaram no ano passado um montante de R$ 78,6 milhões, a partir da contribuição de trabalhadores e empresários, conforme levantamento feito no site do Ministério do Trabalho. Em comparação com as demais regiões, o Amazonas fica em último lugar no critério de arrecadação. O primeiro colocado é a Região Sudeste, que recebeu um montante de R$ 1,6 bilhão.

Conforme o site do Ministério do Trabalho, no Amazonas existem 230 sindicatos e 12 federações, sendo que os sindicatos da Região Norte arrecadaram em 2016 um montante de R$ 67 milhões, já as federações da mesma região tiveram uma arrecadação de R$ 11,6 milhões. As entidades da região Centro-Oeste arrecadaram R$ 475,3 milhões, da Região Sul R$ 436,7 milhões e o Nordeste R$ 261,8 milhões.

Azevedo diz que a contribuição sindical não é a única fonte de renda da entidade – Divulgação

A Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), com 27 filiados, teve uma das maiores arrecadações em 2016, um volume de R$ 1,4 milhão. Em segundo lugar, com uma das maiores arrecadações, a Federação dos Trabalhadores no Comércio do Estado do Amazonas (Fetracom-AM), com dez filiados, arrecadou um montante de R$ 642,3 mil. Em terceiro lugar, com apenas seis filiados, a Federação do Comércio do Estado Do Amazonas (Fecomercio-AM) teve uma arrecadação de R$ 605.443,98 mil.

De acordo com o vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, atualmente, a entidade tem um total de 26 filiados. Segundo ele, cada sindicato tem que ter, no mínimo, cinco empresas para formar um sindicato. “Ao menos no nosso caso funciona dessa forma. Cada sindicato tem que ter cinco pessoas jurídicas”, explica o economista.

Leia a reportagem completa na edição impressa do EM TEMPO, que já está nas bancas.

Henderson Martins
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir