Economia

Sindicato anuncia manifestação contra privatização da Eletrobras Amazonas Energia

Na segunda-feira passada, os trabalhadores urbanitários da Eletrobras Amazonas Energia deflagraram greve por tempo indeterminado - foto: colaborador AET

Na segunda-feira passada, os trabalhadores urbanitários da Eletrobras Amazonas Energia deflagraram greve por tempo indeterminado – foto: colaborador AET

Uma manifestação contra a proposta de privatização da Eletrobras Amazonas Energia, representada por movimentos sociais e sindicatos, entre eles o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Amazonas (STIUAM), está marcada para a próxima sexta-feira (15).

Segundo o presidente do STIUAM, Edney Martins, a concentração ocorrerá às 14h30, na Praça Heliodoro Balbi, conhecida como ‘Praça da Polícia’ e o ato público será às 16h30, na sede da concessionária, localizada na avenida Sete de Setembro, no Centro da capital.

Edney afirmou que o movimento está acontecendo em vários Estados do país contra a privatização no setor elétrico. O sindicalista espera que aproximadamente 1200 pessoas participem do ato.

“ Se a Eletrobras for privatizada terá um impacto muito grande no Amazonas, como aumentos na tarifa da energia elétrica e  no número de apagões, já que o interior ficará mais abandonado e, consequentemente, haverá queda na qualidade de serviço. Nossa ideia é esclarecer à população sobre as consequências dessa privatização”, comentou o sindicalista ao destacar que a venda da concessionária será discutida em uma assembleia geral extraordinária da Eletrobras, marcada para o dia 22 de julho.

No ano passado, a estatal havia convocado uma assembleia geral extraordinária, em novembro de 2015, para avaliar a venda ,até o fim de 2016, do controle acionário de seis distribuidoras de energia, entre elas a Amazonas Distribuidora de Energia S.A. Na época, a Eletrobras informou que não era possível avaliar o valor de mercado das referidas distribuidoras, os potenciais interessados e o prazo para conclusão da venda.

Reajuste salarial

Na segunda-feira passada, os trabalhadores urbanitários da Eletrobras Amazonas Energia deflagraram greve por tempo indeterminado, após não obterem respostas positivas às exigências sobre a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) e a Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Além de reivindicar pela ACT e pela PLR de 2015, a categoria reivindica a reposição de 9,28% da inflação sobre seus vencimentos. Apenas 30% dos urbanitários estão trabalhando. No início deste mês, os trabalhadores fizeram uma paralisação de advertência de 72 horas, onde 300 deles se reuniram em barracas na frente da sede da concessionaria.

Por Kattiúcia Silveira

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir