Economia

Setor primário do Amazonas receberá injeção de R$ 300 milhões

Pecuária 2

O montante será injetado pelo governo do Estado por meio do Plano Safra, que alavancar a produção rural local – foto: Divulgação

Para alavancar o setor primário no Amazonas, será lançado,  no próximo dia 17, pela Secretaria de Estado de Produção Rural e Sustentabiidade (Seprors), o planejamento do “Plano Safra”, onde serão investidos quase R$ 300 milhões pelo governo do Estado. Segundo a Seprors, a meta do “Plano Safra” é de reduzir a dependência da Zona Franca de Manaus (ZFM).


Segundo o secretário da Seprors, Sidney Leite, a decisão visa priorizar a interiorização do desenvolvimento econômico e criar alternativas econômicas, e o setor primário é um deles.

“Nunca tivemos um plano dessa natureza. Nós temos uma meta significativa de mecanização com o fomento do governo do Estado, como também na correção de solo, além de trabalhar em atividades focadas em início, meio e fim. Ou seja, queremos trabalhar desde o preparo da área e, com a introdução da tecnologia e da mecanização, com escoamento da produção, beneficiamento dos produtos que requerem beneficiamento e a preocupação de atender o consumidor, mas sempre agregando valor ao nosso produtor”, afirmou Sidney.

Segundo o secretário, esse é um processo completo, que envolve vários segmentos, tais como o de assistência técnica, que é o caso do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), a comercialização, por meio da Agência Amazonense de Desenvolvimento Social e Econômico (Aades). Na parte da pesquisa, terá a Embrapa, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) o próprio Instituto Federal do Amazonas (Ifam) a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e a Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti).

Capacitação
Conforme Sidney, com o plano, serão disponibilizadas formação e melhoramento nos quadros técnicos de produção rural, e também a qualificação dos produtores e oportunidade de conhecimento para os filhos desses produtores.

Segundo o titular da Seprors, haverá um fortalecimento das organizações, como sindicatos, ou cooperativas e associações.
“Haverá um amadurecimento na política de crédito, tanto para os órgãos governamentais, quanto para instituições bancárias federais e estaduais, que é o caso da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) e do Banco do Povo. Serão um conjunto de ações e nós estamos trabalhando no sentindo de afinarmos. O que nos deixa unidos é produzir e o produtor ganhar dinheiro e levar um bom produto à população. Que possamos estar com essa pauta unificada”, disse Sidney.

 

Por Henderson Martins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir