Economia

Servidores do Inpa fazem ato em defesa do órgão, que completa 61 anos em situação crítica

As comemorações que marcariam essa data deram espaço para atos de reivindicações dos servidores - foto: Gerson Freitas

As comemorações que marcariam essa data deram espaço para atos de reivindicações dos servidores – foto: Gerson Freitas

Servidores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) realizaram um ato público na manhã desta segunda-feira (27) para marcar o aniversário de 61 anos da instituição. O objetivo da manifestação é chamar a atenção da sociedade manauara para a situação crítica em que se encontra o Inpa.

Organizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Amazonas (Sindsep-AM), a manifestação teve início às 8h, na entrada da sede da autarquia, localizada na rua Otávio Cabral, Petrópolis, Zona Centro-Sul da capital.

Segundo o secretário geral do Sindsep, Walter Matos, as comemorações que marcariam essa data deram espaço para atos de reivindicações dos servidores que lutam em defesa do órgão. Segundo Matos, atualmente o Inpa vem sofrendo com a falta de recursos para pesquisa e com a deficiência no quadro de servidores.

Um ato público marcou as comemorações dos 61 anos de existência do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), completados no dia de ontem (27). O movimento foi realizado em frente à sede da autarquia, localizado no bairro Petrópolis, Zona Sul, com a presença de representantes sindicais e servidores.

De acordo com o secretário geral do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Amazonas (Sindsep-AM), Walter Matos, o que era pra ser motivo de comemorações, virou oportunidade para reivindicações de servidores insatisfeitos com a atual situação do órgão, que vem sofrendo com falta de recursos para pesquisas e com a deficiência no quadro de funcionários.

Matos destaca que, mesmo com a grande importância do Inpa, o governo cortou este ano a verba destinada para a realização de pesquisa. O orçamento do órgão que era de R$ 33 milhões foi reduzido para R$ 23 milhões/ano.

Outro ponto citado pelo sindicalista e quem vem preocupando a classe é a falta de contratações para repor as perdas do quadro de servidores, devidas às aposentadorias. Matos ressaltou que ocorrem aproximadamente cinco aposentadorias por mês e que, por ano, esse número aumenta para 50, o que representa uma perda de quase 12% no quadro de servidores.

“Não havendo novos concursos para suprir as vagas abertas e também para ampliar o quadro, o Inpa ficará extremamente debilitado para obtenção de seus objetivos, pois hoje a autarquia conta apensa com 732 servidores”.

O representante sindical disse que é necessário uma politica de revitalização e expansão do quadro de colaboradores para que o instituto continue exercendo suas atividades.

“Além disso, cortaram quase R$ 10 milhões do orçamento do órgão e, do total de R$ 23 milhões que disponibilizaram agora, 60% é gasto com energia, combustível segurança e manutenção de limpeza. Com isso quase nada sobra para investir em pesquisa e conhecimentos”, detalhou.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir