Dia a dia

Servidores da saúde aguardam decisão do MPT sobre pagamentos bloqueados na ‘Maus Caminhos’; audiência é amanhã

Entre os temas abordados estão a organização do atendimento com pessoas em classificação de risco – foto: divulgação

Se não houver uma resposta positiva, os profissionais devem paralisar o atendimento na segunda-feira – foto: divulgação

Os servidores, terceirizados e concursados, da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Campos Sales, localizada no Tarumã, Zona Centro-Oeste de Manaus, ainda não receberam os salários atrasados há mais de três meses e aguardam um posicionamento do Ministério Público do Trabalho do Amazonas (MPT-AM). Nesta sexta-feira (14), os profissionais participam de uma audiência, na sede da Procuradoria Regional do Trabalho da 11ª Região, situada na avenida Mário Ypiranga, na Zona Centro-Sul, onde será definido se a Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (Susam) deverá ou não pagar os salários atrasados.

A secretaria cumpre uma decisão judicial que determina que o governo do estado não faça mais nenhum repasse de recursos públicos para a organização social que administrava as unidades de saúde envolvidas na operação ‘Maus Caminhos’, da Polícia Federal, que investiga desvios no setor da saúde.

De acordo com a analista de gestão de pessoas da UPA, Caren Gordiano, se a resposta do Ministério for negativa quanto às reivindicações dos profissionais, eles devem paralisar as atividades na unidade de saúde na próxima segunda-feira (17). Se confirmada, essa será a segunda paralisação em menos de um mês.

“É inadmissível a Susam não fazer nada. Estamos há três meses sem receber e a situação é crítica. Estamos cobrando um direito que é nosso por lei, pois trabalhamos todo esse tempo sem receber. Engraçado que para desviar milhões o governo do Amazonas libera rápido o dinheiro, mas para pagar os profissionais não tem dinheiro”, falou.

Portal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir