Dia a dia

Serviço de hemodiálise do Adriano Jorge vai ganhar quarto turno

O quarto turno terá início por volta das 20h – foto: divulgação

O quarto turno terá início por volta das 20h – foto: divulgação

O serviço de hemodiálise da Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), no bairro Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus, deve ganhar em breve um quarto turno de atendimento aos pacientes. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (4), pelo secretário adjunto de Atenção Especializada da capital, Wagner Souza, em audiência sobre o tema, na Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM).

A iniciativa faz parte de uma série de medidas que vêm sendo adotadas, com a finalidade de aumentar a capacidade de atendimento aos renais crônicos.

O quarto turno terá início por volta das 20h e a Secretaria Estadual de Saúde (Susam) já iniciou uma consulta aos pacientes para identificar aqueles que têm condições e interesse de fazer o tratamento neste horário. A expectativa, segundo Wagner Souza, é que em breve seja dado início ao processo de oferta do serviço no novo horário. De acordo com Souza, o governo do Estado está reforçando a oferta de atendimento aos renais crônicos, com investimento em estrutura própria.

“O serviço de hemodiálise implantado este ano, na FHAJ, iniciou no mês de abril atendendo a 31 pacientes e já caminha para 96”, ressaltou. Além disso, por meio do Fundo de Promoção Social (FPS), o Governo do Estado repassou à FHAJ, em junho, recursos da ordem de R$ 1,8 milhão, para execução da segunda etapa de estruturação do serviço de hemodiálise da unidade. Com isso, sua capacidade será ampliada, disse ele, para receber 300 pacientes até o final do segundo semestre.

Em relação às pessoas atendidas pela Clínica Renal de Manaus, ele informou que as medidas que estão sendo adotadas pela Susam para ampliar a oferta do serviço visam, também, absorver esses pacientes. A clínica comunicou à Susam que não pretende renovar o contrato, que se encerrará no dia 18 de outubro, a menos que seja reajustado o valor da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) para esse tipo de serviço.

“Estamos em conversa com a clínica, mas caso a decisão seja mantida, já estamos tomando todas as providências para garantir que não haja interrupção de tratamento”, acrescentou, explicando que os recursos são federais e a tabela é a mesma para todo o País.

“Não é uma decisão que possa ser tomada pelo estado ou que se possa adotar uma remuneração diferenciada para o Amazonas”, destacou, adiantando que o assunto foi discutido com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, no último dia 30, durante a Assembleia do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), em Brasília (DF). O pleito para reajuste da tabela foi levado à reunião pelo secretário de Saúde do Amazonas, Pedro Elias de Souza e, a seu pedido, foi incluído na pauta de reivindicações junto ao ministro, que prometeu analisar.

O representante da Clínica Renal de Manaus, Carlos Lins, que também participou da audiência na Defensoria, confirmou que tem conversado sobre o assunto com a Susam, reforçou que os serviços serão mantidos até outubro e, se for necessário, que poderão ser prorrogados por mais três a quatro meses.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir