Sem categoria

“Série de irregularidades motivou minha saída”, afirma ex-titular da Seinfra, que também deixará o Pros

Gilberto de Deus também disse que prende se deligar do Pros - foto: Henderson Martins

Gilberto de Deus também disse que prende se deligar do Pros – foto: Henderson Martins

O ex-titular da Secretaria de Estadual de Infraestrutura (Seinfra), engenheiro civil Gilberto Alves de Deus, afirmou na manhã desta sexta-feira (30) que deixou o cargo na cúpula do governo estadual por não concordar com muitas irregularidades dentro da estrutura.

O ex secretário também disse que prende se deligar ainda hoje do partido do governador José Melo (Pros), ao qual é filiado.

“Eu teria que fazer vista grossa para certas irregularidades, e como não queria agir assim, resolvi preservar minha família”, afirmou durante entrevista em seu escritório, no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul.

Ainda de acordo com o ex secretário, o governador José Melo mudou bastante e não lhe deu o mesmo apoio que no período em que atuou na Secretaria de Estado de Habitação (Suhab), quando, após descobrir diversas irregularidades, teve que demitir mais de duzentas pessoas que não trabalhavam e mesmo assim recebiam.

Gilberto ressalta que o governador José Melo se tornou uma pessoa arrogante, que não se preocupa com o ser humano. “Ele se curvou ao poder, aos interesses… Estou fechando o relatório das minhas atividades na Seinfra e, caso seja procurado pelo poder público, estarei pronto para responder; Vou ser um fiscal do povo. Vou levar essas denúncias aos poderes responsáveis”.

Gilberto de Deus assumiu a Seinfra no dia 1º de outubro, no lugar de Waldívia Alencar, exonerada na última reforma administrativa do governo, e ficou apenas 27 dias no cargo. Ele pediu para sair alegando problemas pessoais. Em seu lugar, assumiu o titular da Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), Américo Gorayeb Júnior, que virou super secretário.

Em nota, a Secretaria de Comunicação do Estado (Secom), informou que, “durante os 27 dias que esteve no comando da Seinfra,  Gilberto de Deus não notificou nenhuma empresa, não instaurou nenhuma auditoria interna para fiscalização das obras citadas e nem se reportou ao órgão governamental de controle interno”.

Ainda conforme a assessoria de comunicação do Estado, ” em suas declarações, o ex-secretário não apresentou nenhum documento, ou fato novo. Todos os dados apresentados por ele são de domínio público e estão disponíveis para a consulta de qualquer cidadão no Sistem Sicop.  A empresa Egus teve contrato cancelado desde o dia 17 de julho deste ano por determinação do governador e está sendo auditada pelo Ministério Público de Contas do Tribunal de Contas do Estado. Os pagamentos para a obra do monotrilho foram referentes a elaboração de projetos, mobilização e sondagens. O contrato está suspenso, por solicitação do Ministério Público Federal, desde 2013″.

Com informações de Henderson Martins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir