Economia

Senai oferece 346 vagas para jovens aprendizes no Polo Industrial de Manaus

Lucas iniciou suas atividades na multinacional com o Programa Jovem Aprendiz – Divulgação

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-AM) está oferecendo mais 346 vagas para empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM), por meio do Programa Jovem Aprendiz. As novas turmas contemplam as áreas de metalmecânica, automotiva, soldagem e plástico, com as aulas começando a partir do dia 29 de maio, na Escola Senai Waldemiro Lustoza, na Avenida Carvalho Leal, 555, bairro Cachoeirinha.

Em parceria com a indústria local, o Senai forma, em média, 400 jovens aprendizes a cada ano. Na BIC Amazônia, dos 760 funcionários, dez são aprendizes, e, de acordo com o analista de Recursos Humanos da empresa, Tony Barreto, responsável pelo programa de aprendizes, esses jovens desenvolvem o aprendizado de acordo com as funções que logo irão assumir profissionalmente.

“Os aprendizes do Senai, em especial, nós os desenvolvemos como uma mão de obra para o futuro”, frisa Barreto.

De acordo com o analista há sempre uma grande possibilidade de contratação dos aprendizes, como é o caso do técnico de manutenção, Lucas Maia da Silva, 22 anos, há mais de dois anos na BIC Amazônia. Lucas iniciou suas atividades na multinacional com o Programa Jovem Aprendiz, no qual se qualificou pelo Senai Amazonas com o curso de manutenção de máquinas industriais, com a turma de 2014.

“Contratar um aprendiz é vantajoso para a empresa, pois eles já conhecem os procedimentos, não precisamos iniciar os treinamentos do zero, o que reduz tempo e custos para a empresa”, afirma o analista.

Ainda em fase de aprendizagem, o aluno Hudson Silva, 20 anos, também busca o seu lugar na BIC Amazônia com os conhecimentos passados pelo Senai Amazonas no curso mecânico de usinagem, além estar cursando o 5º período de Engenharia Mecânica pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam).

“A BIC me proporciona um aprendizado que valorizo muito, e com a qualificação dada pelo SENAI, sei que terei as portas abertas sempre, pois ser qualificado pelo Senai tem um grande peso para as empresas do PIM”, disse o aprendiz.

Para Tony Barreto, o acompanhamento realizado pelo Senai é um dos melhores, pois ao chegarem à empresa os jovens já estão familiarizados com as normas, já chegam disciplinados para encarar o ambiente de trabalho.

Como contratar um aprendiz

O Senai está com vagas abertas para os cursos de almoxarife (1200h), assistente técnico de vendas (1200h), desenhista mecânico-Auto CAD (1440h), operador de injetora de plástico (1440h), programador e operador de torno e centro de usinagem CNC (1440h), mecânico de usinagem (1440h), soldador (1600h) e mecânico de manutenção industrial (1600h), nos horários das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30. Há também o curso de caldeireiro (1440h), de 7h30 as 11h30.

Empresas contribuintes do Sistema S, que desejam contratar aprendizes para o seu quadro de funcionários, arcam apenas com os custos trabalhistas e previdenciários do contrato de aprendizagem, ficando a cargo do Senai as despesas relacionadas aos cursos.

Os cursos de aprendizagem funcionam com 50% de aulas teóricas em sua sede e 50% de aulas práticas nas empresas contratantes do aprendiz.

Os jovens aprendizes estão sujeitos às normas internas das escolas e ao iniciarem o curso, todos recebem material didático adequado para acompanhamento teórico.

As empresas não contribuintes devem entrar em contato com a Escola Senai Waldemiro Lustoza para mais informações por meio dos números (92) 3133-6400, 3133-6401 ou pelo e-mail corem.eswl@am.senai.br

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir