Dia a dia

Semulsp promove mutirão de limpeza em cemitérios da capital

Mesmo com trabalho da Semulsp, lixeira viciada cresce perto do cemitério Santa Helena – foto: Ione Moreno

Mesmo com trabalho da Semulsp, lixeira viciada cresce perto do cemitério Santa Helena – foto: Ione Moreno

Perto do Dia das Mães, a limpeza nos cemitérios da capital amazonense – onde são esperados cerca de 50 mil visitantes no próximo domingo – é a luta diária da Secretaria Municipal de Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp). Em alguns locais, a população insiste em jogar lixo nas proximidades, mesmo com a passagem diária dos carros coletores.

O cemitério Santa Helena, no bairro São Raimundo, Zona Oeste, é um exemplo de ponto de acúmulo de lixo. Segundo a Semulsp, quinzenalmente são enviados fiscais para a limpeza da lixeira viciada. Um jardim foi montado no local para inibir o acúmulo de lixo, mas a população destrói o jardim e continua a prática ilegal. “A Semulsp vai continuar fiscalizando a área e, se houver situação de flagrante, o cidadão estará passível de multa”, informou a secretaria.

Mutirão

Mesmo assim, os trabalhos de limpeza no cemitério estão quase finalizados. Os funcionários da Semulsp estão fazendo os últimos ajustes como capina e varrição.

A secretaria informou que os mutirões percorreram os 10 cemitérios mantidos pela Prefeitura de Manaus desde os primeiros dias de abril.

Os cemitérios Nossa Senhora Aparecida  e São João Batista ainda recebem 200 homens para finalizar o serviço para o Dia das Mães. O primeiro leva mais tempo por ser o maior cemitério de Manaus.

O estudante Carlos Roberto de Oliveira, 19, separa um dia no ano para se dedicar à organização e limpeza do jazigo da avó, que está sepultada no cemitério Santa Helena. “O cemitério não teve planejamento, por essa razão as sepulturas são muito próximas, o que acaba dificultando a passagem dos visitantes”, reclamou.

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir