Dia a dia

Semsa inicia campanha de vacinação prevenir surto da H1N1

Além da imunização, voltada para o grupo de risco, poder público também distribuirá medicamentos - foto: divulgação

Além da imunização, voltada para o grupo de risco, poder público também distribuirá medicamentos – foto: divulgação

Com apenas um caso da gripe H1N1 confirmado este ano, no Amazonas, a Fundação de Vigilância Sanitária (FVS/AM) inicia a partir do dia 30, do próximo mês, a campanha de vacinação contra a Influenza para prevenir qualquer tipo de surto da doença no Estado. A Síndrome Respiratória Aguda Gripal (SRAG), vem sendo monitorada por meio de quatro unidades sentinelas. Dados da fundação dão conta de que em 2014, não foi registrado nenhum caso da doença no Amazonas, enquanto no ano passado, somente um caso foi confirmado pelo órgão.

Uma das medidas para manter sobre controle a doença no Amazonas, além da vacinação, é a distribuição gratuita, nas unidades de saúde da droga viral Tamiflu. Ao todo, 18 mil comprimidos foram disponibilizados para as unidades da capital e do interior.

Entre as orientações do órgão para a prevenção contra a gripe estão lavar as mãos, utilizar álcool em gel, sempre que estiver em ambientes que possam oferecer risco de contaminação. Já em caso de suspeita da doença, é recomendado que o paciente inicie o tratamento com o uso do medicamento antes mesmo da confirmação laboratorial.

Entre o grupo de risco estão gestantes, pacientes de doenças Entre crônicas, obesos, crianças e idosos.

Enquanto a H1N1 está sob controle no Amazonas, por outro lado, as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, mostram índices um pouco assustadores no Amazonas. De acordo com o último boletim da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), até o dia 23 de março, foram notificados 1,891 casos de zika vírus, deste total, 324 casos são de grávidas.

Os confirmados já chegam a 287 casos, sendo 44 em gestantes. O total de 467 casos já foram descartados pelo órgão e outros 1.137 ainda estão em investigação. A Semsa destacou que oito casos de microcefalia associado ao zika vírus, foram notificados até o momento, mas nenhum foi confirmado. Apenas um foi descartado e sete continuam em investigação.

Já o relatório da dengue apresenta redução nos casos confirmados. De janeiro a março de 2015, o total de 234 casos foram confirmados. Este ano, no mesmo período, a Semsa registrou apenas 142 casos, uma diminuição de 39% da doença.

A mesma redução é verificada na febre chikungunya. Em 2015, 153 casos foram notificados, destes, 14 casos foram confirmados, 5 são autóctones e os demais importados – a maioria com histórico de deslocamento para Venezuela. Já em 2016, até a data de ontem, 146 casos notificados, mas nenhum foi confirmado.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir