Cultura

Seminário aborda importância da leitura de obras clássicas

Às vésperas da data em que se comemora o Dia Internacional do Livro (23 de abril), escritores e pesquisadores abordaram a vida e obra de Miguel de Cervantes, autor de “Dom Quixote”, considerado o primeiro romance moderno. Em encontro realizado no Les Artiste Café Teatro, nesta quinta-feira (20), pensadores como José Seráfico, Saturnino Valladares, Wagner Teixeira e Carlos Martins destacaram a importância da leitura de obras clássicas da literatura mundial, incluindo a obra de Cervantes, publicada há mais de 400 anos.

O circuito de palestras promovido pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) teve início no último dia 17. Na manhã de hoje, em sua última atividade, os professores tiveram a oportunidade de abordar com alunos e o público presente o olhar diferenciado para grandes clássicos da literatura, em especial, “Dom Quixote”, tema escolhida para a semana de comemorações.

Doutor em Humanidades e Serviços Culturais, o professor Saturnino Valladares destacou a iniciativa do circuito de palestras promovido pela Manauscult. “Oportunidade especial para debatermos este que é o primeiro romance da literatura moderna. Iniciativa positiva que nos proporcionou, por exemplo, participar de uma palestra maravilhosa como o poeta Paes Loureiro que veio do Pará; e da exposição do professor José Seráfico, no Paço da Liberdade. Manaus precisa disso”, comentou.

Literatura

Doutor em Letras Neolatinas, Wagner Teixeira compartilhou a importância das obras literárias tanto para os professores quanto para os alunos. “Eu trabalho com os clássicos literários que demandam um tempo maior e possuem contextos socio-históricos diferentes. Então é preciso ter esses olhar de professor, para poder passar aos alunos. ‘Dom Quixote’, assim como outras obras literárias, necessitam desse cuidado. A obra tem várias possibilidades de interpretação e o professor, como principal responsável, tem que saber fazer essa adaptação para os alunos”, destacou.

Já para o professor adjunto da Ufam, Luiz Carlos Martins, a obra literária de Cervantes promove enorme conhecimento para a sociedade moderna. “A importância das obras literárias para a contemporaneidade é enorme, pois, antes de tudo, elas desenvolvem capacidades e competências no nosso raciocínio, nossa percepção, na nossa leitura de mundo, que são cada vez mais essenciais para quem quer ser bem sucedido na sociedade contemporânea”, comentou.

Dom Quixote

Idealizador do circuito de palestra, José Seráfico falou sobre a importância da obra de Cervantes para a atualidade. “O valor mais alto proposto pelo autor Cervantes na obra ‘Dom Quixote’ é a justiça. Mas não a justiça dos justiceiros, a que é feita com violência, e sim a justiça baseada no que há de mais sublime no sentimento humano que é o amor. O amor e o sonho movem muitas coisas. E é isso que ‘Dom Quixote’ passa para mim, e isso deve ser compartilhado com as outras pessoas”, disse o professor.

Exposição

Além do seminário com o tema da obra de Cervantes, a exposição “Don Quijote – Sonhando o sonho impossível”, que também faz parte da programação, permanecerá em cartaz no Paço da Liberdade até o dia 19 de maio com aproximadamente 20 peças do acervo pessoal do professor e colecionador José Seráfico. Esta é a primeira vez que a sua coleção particular é aberta ao público.

A entrada para a exposição é gratuita e o Paço da Liberdade funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h30, e aos sábados, das 9h às 12h30.

Com informações da assessoria

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top