Eleições 2016

Semana é decisiva para captar votos dos eleitores

A semana é decisiva para candidatos à prefeitura de Manaus devido as Eleições 2016 acontecerem no próximo domingo dia 02 de outubro - foto: divulgação

A semana é decisiva para os candidatos devido as Eleições 2016 acontecerem no próximo domingo dia 02 de outubro – foto: divulgação

O contato com eleitores nas ruas e o corpo a corpo intenso nos bairros de Manaus será a aposta dos candidatos a prefeito, na última semana de campanha, antes da votação, marcada para o próximo domingo, 2 de outubro.

Além disso, essa campanha termina sob o signo da mudança, já que estreia as novas regras eleitorais, como a proibição do financiamento empresarial e a redução no tempo de televisão, no programa eleitoral.

Um dos favoritos nas pesquisas eleitorais para disputar o segundo turno, Marcelo Ramos (PR) adianta que esta última semana de campanha vai “contaminar” a população com esperanças, mostrando suas propostas que, segundo ele, mudará a vida das pessoas.

Na sua opinião, o candidato afirma que a sua campanha tem sido a mais bonita que fez dentre as que participou, nas últimas eleições, e que as novas regras igualaram as disputas, diminuindo a influência do poder econômico e estimulando mais o engajamento das pessoas.

“Eu consegui me adaptar muito a essa nova realidade e cheguei aonde eu planejava. Tive a sorte de fazer duas ou três campanhas ao mesmo tempo. Todo dia eu faço a caminhada numa ponta com a Nejmi Aziz, o meu vice Josué Neto faz com Wilson (Lima) em outra e a minha esposa com um grupo de mulheres realizam uma outra. Isso faz com que a gente chegue mais longe”, elencou.

Quanto à restrição das doações empresariais à candidatos, Marcelo revela que a regra fez com que a equipe se exigisse mais. No entanto, sua candidatura conseguiu captar doações do Fundo Partidário das siglas PR, PSD e DEM – que compõe seu arco de aliança – para realização de uma campanha enxuta e bonita. “Antes você andava pela cidade e via campanha em todo o canto, agora não, é mais limpa e muito mais valorizando a presença do candidato, e eu, com alegria, me beneficiei”.

Bastante focado em sua campanha nas ruas, Henrique Oliveira (SDD) afirma que não há nenhum tipo de diferença do primeiro dia de campanha até agora. Na verdade, ressaltou o candidato, aumentou a sua frequência nas ruas à medida que os dias iam passando. “Eu tenho percebido que são poucos os candidatos que têm essa receptividade do povo nas ruas. E nós vamos intensificar ainda mais isso. Estamos fazendo agora cinco caminhadas pela manhã e cinco pela tarde. E isso vai se energizar ainda mais na próxima semana, sendo dez pela manhã e dez pela tarde”, adiantou.

Sobre o impacto da reformulação das regras eleitorais, o candidato acredita que vai ser revista pelos congressistas, para as eleições de 2018, até para que tenha a circulação de capital nessa época das eleições. “As gráficas tiveram dificuldades, menos cabos eleitorais foram contratados, pois era nesse momento que circulava emprego e renda. A falta disso é muito, muito ruim para a política, neste sentido. Acredito que vai ser reavaliada pelos deputados que farão parte da próxima bancada”.

Estreando na disputa majoritária, em Manaus, Luiz Castro adiantou que nesta semana vai entregar à população um informativo com todas as suas propostas. “Iremos fazer também muita ação na internet e continuar dando a nossa mensagem na rádio e TV, apesar do pouco tempo”, disse o candidato.

Questionado sobre alguma dificuldade na sua campanha por conta da minirreforma, Castro lamenta a definição dos horários de propaganda, dando a ele poucos segundos na TV e também de sua ausência nos debates políticos. “É gritante, a gente não pode ficar reclamando, mas que as regras foram injustas, sim, sem dúvidas. Temos propostas bonitas e fortes que poderíamos ter levado, porém, infelizmente, não pode acontecer, ocasionando nessa desvantagem. Ainda temos sete dias para chegar em mais locais e vamos chegar ao máximo possível. Temos feito as nossas reuniões e atingimos muito bem, na internet, e continuaremos”, disse.

Manter o ritmo

Manter o ritmo com um esforço final é o lema do deputado estadual Serafim Corrêa (PSB), que destaca uma semana de bastante trabalho e debates. “Temos os debates que irão acontecer durante a semana e vamos manter a linha que estamos mantendo desde o início, com a campanha limpa e em paz, sem bater em ninguém, e lembrar do que eu fiz quando fui prefeito ao apresentar propostas”.

Sobre as novas regras, Serafim afirma que mudaram para melhor, por ter tornado o pleito mais igual. Em contrapartida, a burocracia da Justiça Eleitoral ficou mais rigorosa, prejudicando a sua candidatura. “Quando se cria uma regra que ela só vale para os candidatos não pode ser boa, tem que ser para todos. Você tem, agora, a cada 72 horas que prestar contas. O Tribunal de Contas deve aprovar nesse período, mas não, ele tem um ano. Isso é desigual. Aí vem um iluminado que vai dizer para declaração de imposto de renda que tem que ter assinatura de um advogado e de um contador, como se isso não gerasse custo. Essa burocracia toda prejudicou a minha campanha”.

Ele acrescentou que teve dificuldades em receber doações. “Porque tivemos R$ 250 mil que veio da direção nacional e R$ 140 mil do diretório estadual, que tinha de economia do fundo partidário. Eu não tive nenhuma doação de pessoa física e não fui atrás de ninguém. A tendência é que a eleição seja bancada exclusivamente pelo fundo partidário. Na próxima eleição vão acabar com material gráfico, e vamos ficar apenas com o santinho, na internet”.

O deputado federal Hissa Abrahão (PDT) diz que irá energizar o dia a dia na rua. E até a última hora da campanha será feito o pedido de voto, levando as propostas realizáveis, limpas, sem fantasia. “Isso que eu vou fazer, já que nesse período essa foi uma campanha atípica, dificultosa. A mais diferente de todas. A lei mudou e a adaptação às regras ficou complicada”.

Perguntado sobre a realização da campanha com a minirreforma, Hissa relata que foi bastante difícil. “A falta de recurso dificultou bastante. Estamos a sete dias do pleito e não há clima de campanha. As pessoas, descrentes dos políticos, não estão envolvidas na campanha. Estão alheias. Não se vê nas ruas aquele monte de militante pedindo votos. A gente não vê tanta propaganda nas ruas. O tempo curto de eleição influenciou demais. Hoje são 45 dias de campanha, sendo 35 na TV e rádio. Nesta eleição temos 29 segundos e não há como explicar uma proposta de governo com mais detalhes. O outro adversário tem 3 minutos. É um tempo enorme. Tivemos que usar a criatividade e explorar as mídias sociais”, informou.

Hissa disse que, mesmo com todas as dificuldades, conseguiu chegar onde queria, “Muita gente me esperava agressivo, com sangue nos olhos. Mesmo sem máquinas, sem recurso, nós fizemos uma campanha de preposição. Debatendo as ideias e lutando pelo que faço há oito anos, que é por uma renovação na política. Se o povo não aprovou, paciência. A vida segue”.

Corpo a corpo

José Ricardo (PT) também vai aderir à intensificação nas ruas e, principalmente, trabalhar mais nas ações dos candidatos a vereador. “Essa é a hora de todo mundo dá ênfase e trabalhar mais, já que tem pessoas que ainda não têm candidatos a vereador”.

O petista ressaltou que realizar propaganda na rua não é uma novidade para ele porque essa é uma estratégia que costuma usar nas eleições que disputa. “Apesar de termos sentido uma diferença com a diminuição do tempo, essa ação é algo que eu sempre fiz em todas as minhas campanhas. A falta de recurso também pesou um pouco para a gente, mas temos pessoas criativas, conseguimos fazer algo bonito e simples”.

Redes sociais

O candidato do Psol, Marcos Queiroz, vai apresentar propostas nas redes sociais, na última semana, e aumentar sua presença na campanha de rua, principalmente na área central da cidade.

Sua reclamação com a nova regra se dá pela divisão do tempo, que segundo ele foi bastante injusto, impedindo ele de apresentar as propostas mais detalhadas. “Tenho 12 segundos apenas, e ficou muito ruim, tirando isso a minha campanha foi muito boa porque fiquei próximo das pessoas que me acolheram”, disse Queiroz.

Planejamento

O candidato Silas Câmara (PRB) disse que nesta última semana de campanha eleitoral vai intensificar os trabalhos nas ruas e participar de todos os debates. “O planejamento foi muito bem feito e estamos executando à risca e vem dando certo. A cada dia mais pessoas conhecem e aprovam as nossas propostas. As novas regras buscaram democratizar o processo. Acho que foi salutar. Conversamos sempre olhando nos olhos das pessoas. Esta foi a minha primeira eleição para um cargo executivo. Estou no meu quinto mandato como deputado federal e, sem dúvida, é um desafio diferente”, disse.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir