Esportes

Semana da Pessoa com Deficiência: No esporte, todo mundo é igual

Jaavas trabalha inclusão por meio do esporte com deficientes - fotos: divulgacao

Através da Semed, Jaavas trabalha inclusão por meio do esporte com deficientes – foto: divulgação

A Semana da Pessoa com Deficiência encerra neste domingo (28) e vem sendo comemorada desde o dia 21 de agosto em Manaus. Para celebrar a data, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) promoveu os Jogos Adaptados André Vidal de Araújo (Jaavas), que contou com a participação de 2.730 pessoas, em dez modalidades esportivas e 20 jogos criados para pessoas com diferentes tipos de deficiência. O projeto foi criado em 2012 pela professora Shirley Amaral e tem o objetivo de promover a inclusão dos jovens e crianças por meio das atividades físicas.


“O objetivo do projeto Jaavas é mostrar para a sociedade em geral que a pessoa com deficiência também tem talentos e pode ser tão boa quanto um atleta que não tem deficiência. Não estamos aqui para disputar, mas para participar e nos divertirmos, pois todos eles têm talento para o esporte, e o que faltava era o incentivo do poder público. Graças ao projeto, eles têm um compromisso anual, em que podem se divertir e conhecer suas habilidades esportivas”, explica.

Entre as modalidades do Jaavas, estão o atletismo, futsal, basquete, vôlei sentado e jogos adaptados. O destaque das competições ficou para a bocha paralímpica, que na última quinta-feira (25) chegou a reunir mais de 50 inscritos.

A história da dona de casa Daniele Gama é a prova do quanto a exclusão da pessoa com deficiência ainda é grande na sociedade. Ela declara que devido a uma negligência médica no seu parto, o filho, cujo nome ela preferiu não divulgar, acabou adquirindo paralisia cerebral e autismo. Desde lá, sua vida é resumida a uma prisão em sua própria casa, devido à atitude de algumas pessoas nas ruas.

“Meu filho adquiriu autismo e paralisia cerebral devido a uma negligência médica que atrasou o meu parto, e desde lá tenho me dedicado somente a ele. Não costumamos sair, pois se você sai com uma criança no shopping, todos ficam olhando como se ele não fosse uma pessoa normal, mas ele é, e eventos como este são bons não apenas para as crianças e jovens com deficiência, mas também para as pessoas mudarem a maneira como pensam ao ver algo diferente”, diz.

Já no futsal, Rodrigo Otávio que tem deficiência mental leve, garantiu vários gols e a tia, Rosana Nobre, agitou a torcida na quadra do Centro de Convivência Magdalena Arce Daou. “Ele participa do Jaavas desde quando o projeto foi criado em 2012, e já participou de várias modalidades como natação, atletismo, e agora está mostrando seu talento aqui no futsal. Temos muito orgulho dele e somos felizes por esse projeto existir em nossas vidas”, afirma.

Para promover a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade, o Jaavas conta com eventos como “Pedalada da Inclusão” e “Corrida Abrace uma Pessoa com Deficiência”, que têm o objetivo de diminuir o número de casos de bullying em escolas e ambientes que reúnem grandes grupos sociais.

“Com esses eventos do Jaavas, tentamos mudar o pensamento da sociedade, que ainda insiste em querer diminuir a pessoa com deficiência. Infelizmente, a diferença desses jovens promove um desrespeito de outros para com eles, com o intuito de mostrá-los que não são capazes, mas eles são, e muito. A sociedade precisa entender que eles têm muita força de vontade e que são tão bons como atletas famosos como Neymar, Guga e Cristiano Ronaldo. Eu acredito no poder que projetos como este podem ter para mudar esses pensamentos negativos, promovendo igualdade e respeito para todos”, declara Shirley Amaral.

Por Wal Lima
Jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir