Esportes

Sem limitações: deficiente físico vai representar o AM no Campeonato Brasileiro de Tênis de Mesa

PODIO_4_TENISDEMESA_Karla-Vieira

Há três anos Marlysson treina diariamente com a seleção amazonense de tênis de mesa – foto: Karla Vieira

Marlysson Henrique da Silva, de 17 anos, vai representar o Amazonas no Campeonato Brasileiro de Inverno de Tênis de Mesa, que começa a ser disputado ontem (17), na cidade de Fortaleza (CE). O paratleta da seleção amazonense da modalidade, que já foi bicampeão brasileiro escolar, está confiante em trazer mais medalhas para o Estado. Ele é aluno da escola municipal Arthur Engrácio, no Nova Floresta, onde deu seus primeiros passos no esporte.

Há três anos Marlysson, que é deficiente físico como consequência de paralisia infantil, treina diariamente com a seleção amazonense de tênis de mesa. O início dele como paratleta ocorreu em outra modalidade, o Xadrez, na escola Municipal Professor Themistocles Pinheiro Gadelha, onde estudava anteriormente. Ele conta que após ingressar na equipe de xadrez, os professores começaram a perceber sua habilidade em outros esportes, incentivando-o a treinar tênis de mesa.

Desde então, o adolescente vem se destacando na categoria, acumulando cerca dez títulos importantes no esporte. Ele é atualmente bicampeão brasileiro escolar, vencendo o campeonato nos anos de 2014 e 2015, disputando partidas com adolescentes entre 15 e 18 anos.

Animado com mais uma disputa nacional, Marlysson ressalta que o esporte trouxe uma série de melhorias para sua saúde. “Desde que eu comecei a treinar tênis de mesa, a minha coordenação motora, o meu equilíbrio e a minha fala apresentaram uma melhora muito grande e eu sei que o esporte auxiliou nisso”, comemora.

A determinação e o exemplo do atleta –  que estuda pela manhã e treina à tarde e à noite – acabaram incentivando os quatro irmãos mais novos a também começar a praticar o esporte.

Marlysson também é ambicioso em suas metas dentro do esporte. “Quero, a partir do ano que vem, começar a me preparar para conseguir uma vaga na seleção brasileira de Tênis de Mesa. Depois das Olimpíadas e Paraolimpíadas, eles vão começar a renovar a equipe e acredito que tenho chances. Quero poder jogar e viajar pelo mundo”, diz, empolgado. Ele também tem planos de cursar faculdade de Educação Física assim que terminar o Ensino Médio.

Para participar do torneio, professores e colegas de escola promoveram vários eventos de arrecadação de fundos para custear as passagens e hospedagem do adolescente em Fortaleza. A Secretaria Municipal de Educação (Semed) também contribuiu conseguindo um patrocinador para doar o tênis e a mochila que ele levará para a competição.

“O Marlysson é aquele tipo de aluno que nos motiva a buscar apoio e essa determinação dele acaba contagiando todos em volta. Aqueles que não possuem nenhuma deficiência passam a se espelhar nele e veem que são capazes”, ressalta Jéssica de Souza Santiago, professora de educação física da escola onde Marlyson estuda.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir