Esportes

Sem Jaque, campeãs olímpicas brilham na vitória sobre os EUA no Pan

Única bicampeã olímpica em Toronto, Jaqueline sentiu dores lombares e não atuou contra os Estados Unidos nesta segunda-feira (20), no Pan de Toronto. Entraram em ação a ponteira Fê Garay e a central Adenízia, respectivamente com 16 e 19 pontos.

Medalhistas de ouro na Olimpíada de Londres-2012, elas foram as maiores pontuadoras na vitória brasileira por 3 sets a 2 (parciais de 22/25, 25/21, 18/25, 25/22 e 15/11).

No entanto, mesmo invicta na primeira fase, a seleção brasileira ficou no segundo lugar do grupo e agora enfrenta Cuba, na próxima quarta-feira (22), nas quartas de final do Pan.

As norte-americanas acabaram na liderança pois venceram dois jogos por 3 a 0 e perderam este por 3 a 2. Já o Brasil ganhou dois jogos por 3 a 2 e um por 3 a 1. Como as vitórias por 3 a 0 valem cinco pontos, a por 3 a 1 vale quatro e a por 3 a 2 vale três, os EUA fizeram mais pontos que o Brasil na primeira fase, apesar do confronto direto.

Quem entrou no lugar de Jaque na terceira vitória do Brasil em três jogos no Pan foi a sua “parceiraça”, como ela mesma gosta de chamar, Mari Paraíba.

Companheiras de quarto na Vila, amigas e parceiras no Minas na última temporada da Superliga, a experiente Jaqueline, 31, é uma espécie de tutora da caloura Mari, 28, neste Pan.

As dicas e brincadeiras fora da quadra transformaram-se em responsabilidade na partida e Mari correspondeu.

Assim como o time brasileiro mescla atletas experientes e estreantes em Pans, os EUA têm em Toronto destaques como as campeãs mundiais (2014) a ponteira Kristin Hildebrand, 30, capitã do time, e a oposta Nicole Fawcett, 28, além da recém-formada Krista Vansant, 22, destaque norte-americano pela Universidade de Washington, que agora vai jogar na Suíça.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir