Esportes

Sem dinheiro, Fast vai desfalcado para Copinha

Dos 22 jogadores do elenco, apenas 18 conseguiram passagem para disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior. - foto: Ione Moreno.

Dos 22 jogadores do elenco, apenas 18 conseguiram passagem para disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior. – foto: Ione Moreno.

Com cinco meses de preparação e faltando apenas três dias para a estreia do Fast Clube na 47ª edição da Copa São Paulo de Futebol Junior 2016, a equipe amazonense ainda sofre com a falta de passagens aéreas. Dos 22 jogadores que compõem o elenco de base, apenas 16 integrantes já podem embarcar para Taboão da Serra, cidade-sede do Grupo 18 da copinha localizada na Região Metropolitana de São Paulo.

O diretor de categorias de base do Rolo Compressor, Thiago Durante, afirmou ao PÓDIO que a equipe não havia se preparado financeiramente para bancar com recursos próprios os seus jogadores. Porém, a ideia inicial era que somente os 18 iriam para São Paulo.

“A prefeitura forneceu somente dez passagens aéreas e o clube pagou outras seis até agora. Estamos tentando completar o restante”, disse Durante.

Ainda de acordo com Durante, o Fast decidiu reduzir o número de jogadores relacionados para a Copa São Paulo. O motivo para o corte foi a deficiência técnica de alguns atletas. O Tricolor estreia no dia 3 de janeiro, contra o Figueirense, às 16h (de Manaus). “Um grupo de dez jogadores, formado pelos titulares, viaja nesta quinta-feira (31), junto com o preparador físico e treinador de goleiros. No dia 2, embarca o restante dos atletas e membros da comissão, como o técnico (Darlan Borges)”, explicou.

Na primeira fase da Copinha, a equipe fastiana enfrentará o favorito Figueirense, o anfitrião Taboão da Serra-SP, no dia 5, e o XV de Piracicaba-SP, no dia 7. Serão 112 times divididos em 28 grupos. Diferente das edições anteriores, desta vez são os dois primeiros colocados de cada chave que avançam para a etapa seguinte.

O técnico Darlan Borges, que comandou nas últimas edições da Copinha outros clubes amazonenses, entre os quais Nacional e Tarumã, e a maioria dos 22 jogadores contratados têm experiência na competição.

“Temos quatro reforços que vieram do Rio Negro e Sul América, além dos cinco jogadores que subiram do juvenil do Fast. Estamos treinando com bastante foco e muitos trabalhos táticos e coletivos”, explicou Borges.

Para o treinador, o entrosamento do grupo será o diferencial na Copinha. “A maioria destes jogadores treinam juntos desde fevereiro e a expectativa é a melhor possível pelo que fizemos neste ano. De quatro competições, ganhamos três (exceção foi a Copa do Brasil)”, comentou Borges.

 

Ano de conquistas

Em 2015, o time Sub-20 do Rolo Compressor, que pela primeira vez representará o Estado numa Copa Júnior, conquistou o Amazonense de Juniores. Depois veio a histórica taça de campeão na Copa Norte Sub-20, em Belém (PA), sobre o Paysandu.

Após 44 anos sem títulos, o Fast voltou a triunfar numa competição profissional, ao ser vencedor da Copa Amazonas, coroando a nova geração de jogadores do clube.

 

Por Lidivan França

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir