Economia

Selo da Nota Fiscal Amazonense é obrigatório para empresas que participam do programa

As empresas que não cumprirem a determinação estarão sujeitas a multas que iniciam a partir de R$ 200 – foto: divulgação

As empresas que não cumprirem a determinação estarão sujeitas a multas que iniciam a partir de R$ 200 – foto: divulgação

O secretário de Fazenda, Afonso Lobo e a diretora-presidente da Secretaria Executiva de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon-AM), Rosely Fernandes, apresentaram na manhã desta sexta-feira (8) a sistemática de fiscalização para garantir o cumprimento da Resolução nº 03/2015 do Conselho Estadual de Defesa do Consumidor, que determina a obrigatoriedade da fixação do selo/adesivo da Nota Fiscal Amazonense.

Desde a publicação da Resolução no Diário oficial do Estado no dia 23 de dezembro do ano passado, cerca de 10 mil estabelecimentos comerciais que vendem produtos ou prestação serviços participantes do Programa Estadual de Cidadania Fiscal devem, obrigatoriamente, apresentar nos caixas de pagamento o selo fiscal correspondente. As empresas que não cumprirem a determinação estarão sujeitas a multas que iniciam a partir de R$ 200.

“Atualmente, cerca de 10 mil varejistas já operam com a nota fiscal eletrônica. Nossa meta, em 2016, é atingir 20 mil estabelecimentos emitindo documentos eletrônicos. Tão logo superemos as dificuldades como uma rede de cobertura de internet eficiente em todos os bairros de Manaus, conseguiremos ampliar o número de emitentes. Algumas empresas estão disponibilizando fibra ótica de banda larga o que deve facilitar o atingimento da meta fazendária”, explicou o secretário Afonso Lobo.

Procon
O Procon-AM é parceiro da Sefaz-AM desde o início da campanha em agosto de 2015. Na fase inicial, os fiscais do órgão estadual de defesa do consumidor trabalharam na divulgação da Nota Fiscal Amazonense junto aos empresários e público em geral.

Posteriormente, adotaram na rotina de apuração de denúncias a verificação da emissão da nota fiscal assim como da inclusão do CPF na nota. As irregularidades identificadas pelos fiscais do Procon-AM foram repassadas à fiscalização da Sefaz-AM para que as providências cabíveis fossem realizadas.

“Dispomos de 13 fiscais que, diariamente, realizam fiscalizações de ofício ou denúncia. Em todas as ações, eles já observam se o contribuinte está emitindo o documento fiscal com o CPF a fim de resguardar o direito do consumidor. A partir de agora, também irão observar a fixação do selo. Na fase inicial da campanha, apoiamos o fisco estadual no sentido de estimular a adesão empresarial que por um período foi voluntária. Neste momento, entramos na fase de repressão às atividades irregulares”, destacou Rosely Fernandes.

Sorteio
O primeiro sorteio especial da campanha Nota Fiscal Amazonense acontecerá nesta segunda-feira, 11, no auditório da Secretaria de Estado da Fazenda, às 15h, sendo aberto ao público. Concorrem aos 20 prêmios 175.118 consumidores e entidades sociais. No total, serão sorteados R$ 294 mil.

Foram gerados 14.161.091 cupons eletrônicos para um total de 5.876.729 notas fiscais eletrônicas com CPF, que totalizam quase R$ 1 bilhão em valores lançados. Essas notas fiscais foram processadas no período de 3 de agosto a 31 de dezembro de 2015. A seleção dos cupons vencedores será realizada de forma eletrônica, com base na extração da Loteria Federal do dia 9 de janeiro, não tendo qualquer intervenção humana.

A Secretaria de Fazenda irá sortear 10 prêmios para pessoa física: quatro de R$ 10 mil, três de R$ 20 mil, dois de R$ 30 mil e um de R$ 50 mil.
Mudanças
Em 2016, o valor das premiações está ainda mais atrativo. Os prêmios diários que eram no valor de R$ 50 quadruplicaram a partir do dia 1º de janeiro. Os consumidores concorrem agora a 25 prêmios instantâneos diários de R$ 200 e um de R$ 1 mil.

Devido ao grande número de vencedores que ganharam, mas não receberam os prêmios por falta de cadastro no site, nfamazonense.sefaz.am.gov.br, a coordenação da campanha alterou a regra para a participação nos sorteios. Agora, o cadastro é obrigatório para que sejam gerados os bilhetes eletrônicos.

Do total de sorteados 15.379, 7.404, que correspondem a 48% promoveram o cadastro. No entanto, a maioria dos contemplados com prêmios, 7.975, que equivalem a 52% não se cadastraram no site. Desde o início da campanha, 3.392 sorteados perderam o direito ao prêmio porque deixaram transcorrer o prazo de 90 dias para o resgate. Outras 1.201 pessoas estão prestes a perder o dinheiro se não se regularizarem até o final de janeiro.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir