Dia a dia

Segurança reforçada para ‘João Branco’, que será ouvido neste sábado pela PF

'João Branco' estava sendo procurado por mais de 180 países - foto: divulgação

‘João Branco’ estava sendo procurado por mais de 180 países – foto: divulgação

Desde o início da noite de ontem, policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) reforçam a segurança da sede da Superintendência da Polícia Federal do Amazonas, localizada na avenida Domingos Jorge Velho, bairro Dom Pedro 2, Zona Centro-Oeste, onde está preso o narcotraficante João Pinto Carioca, o “João Branco”, 40.

Sob forte esquema de segurança policial, ele desembarcou às 16h de ontem, no pátio do aeroporto internacional Eduardo Gomes, no Tarumã, Zona Oeste. O narcotraficante permanecerá na sede da PF até que seja aberta uma vaga em um presídio federal, para onde ele será encaminhado.

Escoltado por 25 agentes federais, distribuídos em cinco carros, o comboio seguiu até a sede da PF, onde o líder da facção criminosa Família do Norte (FDN), prestará depoimentos referente a inúmeros crimes, pelos quais, ele é acusado. “João Branco” foi preso na última quinta-feira, no município de Pacaraima (RR), após entrar no Brasil, vindo da Venezuela usando documentos falsos. Três pessoas que estavam em sua companhia, Alexandre de Oliveira Lemos, o “Alan”, 33; Carlos Antônio Oliveira Oliveira, 21; e Makysoniel Nogueira Braga, 30, suspeitos de serem os batedores de “João Branco”, estão presos em Boa Vista.

Neste sábado, o narcotraficante será ouvido por policiais federais a respeito de crimes como tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e organização criminosa, descobertos a partir da operação La Muralla, deflagrada em novembro de 2015. A operação resultou na prisão de 70 pessoas, entre elas, sete advogados com ligações com o crime organizado, além de um vereador do município de Tonantins.

“João Branco” estava foragido desde o dia 9 de março de 2014, após ordenar a execução do delegado da Polícia Civil, Oscar Cardoso, no bairro São Francisco, Zona Sul. Além do mandado de prisão pelo assassinato de Oscar, “João Branco” responde a dezenas de outros crimes em Manaus. Em relação aos demais crimes, uma equipe de investigadores da Polícia Civil deverá comparecer à sede da PF para ouvir o depoimento do narcotraficante.

Considerado de alta periculosidade, “João Branco” seguiria de Boa Vista direto para o presídio federal de Catanduvas (PR), no entanto, a quantidade de vagas, alterou os planos da PF, fazendo com que ele viesse para Manaus.

 

Reforço

Temendo tumulto no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) solicitou reforço policial nas dependências da cadeia. “Solicitamos apoio da Polícia Militar para fazer a segurança no Compaj, por suspeitas de uma possível rebelião relacionada à prisão do narcotraficante na carceragem da PF”, informou o secretário de Administração Penitenciária, Pedro Florêncio.  João Branco” fugiu do presídio, onde cumpria pena no regime semiaberto por tráfico de drogas.

 

Por Thaís Gama

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir