Dia a dia

Segunda alerta de cheia do rio Negro estima cota de 27,50 metros

CPRM divulgou ontem o segundo alerta do ano, confirmando a previsão de cheia amena para este ano - foto: Márcio Melo

CPRM divulgou ontem o segundo alerta do ano, confirmando a previsão de cheia amena para este ano – foto: Márcio Melo

Com uma diferença de 30 centímetros, em relação à cota do primeiro alerta de cheia, anunciado no dia 31 de março, a cheia do rio Negro poderá alcançar 27,50 metros, conforme a segunda previsão divulgada, pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) na manhã de ontem. Mesmo com variação de 30 centímetros – a marca prevista no primeiro alerta foi de 27,20 metros – a estimativa até o momento, é que a enchente deste ano seja menor comparada ao ano passado que registrou a cota máxima de 29,66 metros. Na manhã de ontem, o nível do rio Negro marcava 25,57 metros, de acordo com a medição do serviço hidrológico do Porto de Manaus. A referida marca é 2,58 metros a menos em relação ao mesmo período de 2015, que registrava na ocasião 28,15 metros.

“A cheia está dentro da normalidade e não vai causar prejuízos para a população ribeirinha”, garantiu o superintendente do CPRM, Marco Antônio Oliveira, ao enfatizar que o nível do rio deverá oscilar em 27 metros. Ainda segundo Oliveira, a presença do El Niño – fenômeno climático associado ao aquecimento das águas do Oceano Pacífico Tropical – contribuiu para o baixo nível do rio, o que por extensão fará com que a cheia deste ano seja mais branda em relação aos anos anteriores. “A princípio, não será uma cota de enchente e inundação. Devido as poucas chuvas, a margem do rio baixou ”, observou.

Além das chuvas, Marco Antônio também chamou a atenção para o fato de que o nível do Negro também é influenciado por outras bacias hidrográficas do interior do Estado, como por exemplo, Tabatinga, onde a quantidade de chuvas influi diretamente na subida e descida das águas. No primeiro alerta divulgado pelo CPRM, a previsão inicial de cota máxima do rio Negro em Manaus variava entre 26,60 metros e 27,20 metros. Com a nova previsão o nível do Negro deve variar entre 26,90 metros e 27,50 metros em Manaus. O próximo e último alerta será divulgado pelo CPRM no dia 31 deste mês.

A média histórica do rio Negro é de 27,79m, com base nos dados de 1903 a 2015 disponibilizados pela Agência Nacional de Águas (ANA) e a Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias (SNPH).

Modelo matemático, elaborado por um pesquisador do Inpa

Divulgada em março deste ano, a previsão de cheia do rio Negro, no entorno do porto de Manaus e áreas próximas, ficaria abaixo da média histórica, devendo alcançar uma média de 26,80 metros com uma margem de erro de 30 centímetros para mais ou para menos, variando entre 26,50 metros e 27,10 metros. A estimativa foi baseada em modelos matemáticos elaborados pelo pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Jochen Schongart, do grupo de pesquisa Ecologia, Monitoramento e Uso Sustentável de Áreas Úmidas (Maua).

O pesquisador vem aperfeiçoando o modelo de previsão das cheias, desde 2005, utilizando dados do nível do rio Negro no Porto de Manaus, disponibilizados pela SNPH e ANA e pelo Índice da Oscilação Sul (SOI), baseado em um modelo publicado na revista Journal of Hydrology (2007).

Em 2012, Schongart adotou uma nova metodologia que integra mais parâmetros independentes para fazer uma nova modelagem mais robusta estatisticamente. Nela é utilizada uma série temporal longa de dados disponíveis desde 1951 até 1990, que foram usados para fazer testes do modelo. Também utiliza dados de 1991 até os dias de hoje para fazer a validação e testar se o modelo é capaz de prever cheias com antecedência de mais de três meses e com uma baixa margem de erro.

O pesquisador conseguiu uma redução da média de erro de 38 centímetros do primeiro modelo (2005) para 30 centímetros no novo modelo (2012).

 

Por Bruna Amaral

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir