Eleições 2016

Secretário municipal de saúde se defende de acusações e diz que vai processar Marcelo Ramos

Após ser acusado pelo candidato a prefeito de Manaus, Marcelo Ramos (PR), de estar envolvido nos esquemas de desvio da verba pública destinada à saúde, investigados na operação ‘Maus Caminhos’, da Polícia Federal, o secretário de saúde do município, Homero de Miranda, afirmou, por meio de nota divulgada na manhã deste sábado (15), que vai processar quem o calunia ou o difama. Segundo a assessoria do secretário, o jurídico da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) deve entrar com ação processual na próxima semana.

“Tenho uma história de vida voltada para o serviço público e me orgulho dela. Não posso permitir que quem quer que seja a ofenda ou macule. Portanto, vou processar quem me calunia, difama e ofende. Creio na justiça de meu estado e a ela recorrerei, não só por mim, mas especialmente por minha família e servidores da saúde que comigo dividem a realização desse trabalho”, informa a nota.

Segundo a nota, as acusações de Marcelo são sem fundamento, porque não há irregularidades em processos licitatórios da Semsa, principalmente na citada pelo candidato da coligação ‘Mudança para transformar’, referente à contratação de empresa para realização da campanha anual de vacinação animal.

A nota aponta que, em 2014, nos primeiros meses de gestão de Homero frente à saúde do município, ocorreu um pregão para contratação do serviço de vacinadores da campanha antirrábica, prevendo a ampliação dos serviços prestados incluindo, além da contratação dos profissionais, os impressos, gerenciamento de resíduos, supervisão, coordenação da prestação de serviços e registro médico-veterinário, além de benefícios concedidos aos vacinadores, tais como auxílio transporte e alimentação.

“A contratação foi feita por meio de processos licitatórios legais vigentes, na modalidade de pregão, com o valor apresentado pela empresa vencedora de R$ 1.741.000,00. O diferencial de valor dos contratos se deu em razão de serviços adicionais incluindo despesas que não constavam no contrato de 2013. Ambos os contratos foram devidamente licitados em obediência à legislação em vigor, repito”, diz o secretário por meio da nota, fazendo menção à contratação de vacinadores feita em 2013, na gestão de Evandro Melo, que fora realizada por meio de terceirização de mão de obra, através de processo licitatório na modalidade pregão. O valor do referido instrumento foi de R$ 895.125,00 para a contratação de 250 vacinadores.

O secretário informa na nota que, ano passado, decidiu alterar a forma de contratação para o modelo de Processo Seletivo Simplificado com o objetivo de reduzir custos, optando pela modalidade historicamente utilizada pela Semsa, com a contratação direta de 250 vacinadores por tempo determinado, com o custo total de R$ 422.480,00.

“Para a campanha seguinte, que ora ocorre, estão sendo gastos R$ 494.388,00 para a contratação de 200 vacinadores. Esta decisão, de fazer a contratação por Processo Seletivo nos anos de 2015 e 2016, implicou em uma redução de custos significativa em relação ao biênio 2013-2014, trazendo uma economia de R$ 1.719.257,00 aos cofres públicos”, contabiliza o secretário.

Procurado pelo portal EM TEMPO, Marcelo Ramos disse não ter o que falar mais sobre o assunto, revelando que há documentos expostos para quem quiser comprovar as acusações.
“O Homero tem que conversar com o prefeito que o demitiu ao vivo, em um debate na TV e tem que se explicar com a Polícia Federal. Eu apresentei documentos”, defende-se o candidato que justificou na postura do atual prefeito da cidade, Arthur Neto (PSDB), os ataques lançados na noite de ontem (14).

“O prefeito é destemperado e fora de si. É impossível manter a serenidade e um debate propositivo com uma pessoa desse perfil. Então, preciso equilibrar minhas respostas em apresentações de propostas e rebates de acusações porque ele age como se não fosse prefeito e se esquiva dos balanços que tem que fazer”, disse o candidato.

Na segunda (17) e terça-feira (18), a partir das 18h, os candidatos que disputam o segundo turno das eleições vão participar de uma entrevista no Jornal EM TEMPO, filiado ao SBT.

Portal EM TEMPO

1 Comment

1 Comment

  1. Mauro

    16 de outubro de 2016 at 12:25

    Bom dia!
    Se é pra falar de coisas erradas, você também deve falar do candidato Marcelo Ramos, onde um dos parentes dele, provavelmente irmão ou primo, tem uma empresa, onde meados de 2012 ou 2013, ganhou um contrato sem licitação, para fornecimento de materiais a Polícia Militar do Amazonas, e não entregou nem a metade dos materiais e meteu nota pra recebimento, e o gestor do contrato Ten. Cel. Mouzinho, se negou atestar a nota fiscal, foi afastado e o que substitui, deu o ateste, podes verificar a veracidade do assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir