Economia

Safra de grãos pode ser 8,4% menor que a de 2015, diz IBGE

grãos-de-café

Os dados do LSPA, relativos a junho, apontam para uma produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas de 191,8 milhões de toneladas – foto: divulgação

As projeções mensais que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) faz para a safra brasileira de grãos deste ano continuam em queda e indicam que 2016 pode fechar com uma safra 8,4% menor do que a do ano passado, que foi de 209,4 milhões de toneladas. As informações são da Agência Brasil.

Os dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), relativos a junho, apontam para uma produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas de 191,8 milhões de toneladas, resultado que, se for confirmado, representaria 17,6 milhões de toneladas a menos que a safra recorde de 2015.

Nas projeções do LSPA de maio, que já apontavam para uma safra menor este ano, a queda prevista era de 2,1%, o equivalente a 4 milhões de toneladas a menos este ano. Os números da safra 2016, nas projeções de junho, indicam uma estimativa da área a ser colhida de 57,5 milhões de hectares, um recuo de 0,1% frente a 2015 (57,6 milhões de hectares).

Arroz, milho e soja são os três principais produtos da safra nacional de grãos e, somados, representaram 92,4% da estimativa da produção e 87,4% da área a ser colhida este ano. Em relação a 2015, houve crescimento de 2,8% nas projeções da área plantada de soja e redução de 1,2% na do milho e de 9,4% na de arroz.

Os dados de junho indicam que a produção será negativa para estes três produtos. A de milho, por exemplo, deverá fechar em queda de 18% em relação a produção do ano passado; a de arroz será menor em 12,2% e a da soja cairá 0,6%.

Regionalmente, os dados da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas não apresentaram alterações significativas. A região Centro-Oeste contínua com a maior produção percentual de cereais, leguminosas e oleaginosas (41,6% do total), o equivalente a 79,9 milhões de toneladas; o Sul com 38,7% e 74,2 milhões de toneladas; o Sudeste com 10,3%, 19,7 milhões de toneladas; e o Nordeste com 6,1%, 11,7 milhões de toneladas.

Em relação à safra de 2015, houve crescimento de expectativa para a produção do Sudeste, mais 1,9%; e quedas nas projeções de produção para as regiões Norte (-17,8%), Nordeste (-29,2%), Centro-Oeste (-11,1%) e Sul (-2,2%). Por estado, nessa avaliação para 2016, Mato Grosso foi o maior produtor nacional de grãos, com participação de 24,9% do total, seguido pelo Paraná (18,9%) e Rio Grande do Sul (16,5%). Somados, os três estados representaram 60,3% do total nacional previsto para este ano.

Com a colheita da soja praticamente encerrada, a estimativa da produção para a totalidade do país em junho é de 96,6 milhões de toneladas, queda de 0,3% frente a maio. A maior variação do mês ficou com o Paraná que, inclusive, informou a estimativa da produção da safrinha, 317,9 mil toneladas, abaixo da dimensionada anteriormente.

Com isso, a produção do estado em 2016 alcança 17 milhões de toneladas, com queda de 0,8% frente a maio. Já o Distrito Federal deve colher 208,6 mil toneladas nesta safra, com aumentos esperados na área plantada (89,8%) e na produção (82,9%).

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir