Esportes

Ronys Torres vai encarar Gladiator Fight como treino

 

Mesmo de férias no Amazonas, Ronys Torres separa algumas horas do seu dia para treinar jiu-jítsu e não deixar a parte física ser afetada - Marcio Melo

Mesmo de férias no Amazonas, Ronys Torres separa algumas horas do seu dia para treinar jiu-jítsu e não deixar a parte física ser afetada – Marcio Melo

Sem se preocupar com vitória ou derrota, o amazonense Ronys Torres, 29, encara o Gladiator Fight, evento de luta sem quimono, que será realizado em Manaus no dia 5 de fevereiro como preparação para o retorno ao Ultimate Fight Championship (UFC). O lutador de Manacapuru (a 84 quilômetros de Manaus), campeão dos pesos-leves (até 70 quilos) na última edição do Shooto Brasil 60, ano passado, diz que não teme “queimar o filme”.

“Não vivo do submission, mas sim do jiu-jítsu. Acredito que a responsabilidade maior seja do adversário, o André Júlio. Minha carreira mesmo é voltada para o MMA. Se fosse uma luta de MMA, com certeza não aceitaria, pelo fato de não conseguir chegar 100%”, disse. “Então, não vejo como algo que possa me prejudicar caso eu perca”, concluiu.

O cartel do lutador é respeitável. São 30 vitórias em 35 combates. Contra André Júlio, fará um combate interiorano. O adversário também é de Humaitá (a 675 quilômetros de Manaus). “É uma honra lutar com esse moleque. Eu era faixa verde e o André Júlio já era sinistro. Fizemos um ‘lutão’ no Amazonense sem quimono e, sem dúvida, vai ser um lutão novamente”, acredita Ronys. André Júlio retribui o elogio. “Ronys é um grande lutador, vai ser um show para público”, avaliou.

A opção pelo evento em Manaus foi estratégica. O combate servirá mais como treino, o que reduz o risco de uma contusão. “Recebi convites para lutar no World Series e Novo Pride, mas estou de férias. Como gosto de competir, esse tipo de evento em Manaus serve para readquirir ritmo”, disse Torres, que só volta a lutar forte no final de fevereiro.

Até lá, o amazonense vai organizar a carreira. O planejamento inclui estudo das melhores propostas de luta para este ano. A meta é voltar ao UFC, mas ainda não há um convite oficial por parte da direção do evento.

“Mesmo que não se concretize nada nesse sentido, posso seguir carreira em um evento paralelo ao UFC”, disse o atleta, ao revelar que os próximos combates vão depender das propostas. “Minha preparação já é adaptada para MMA. Então, depois do Gladiator, só volto a lutar se for evento de MMA”, declarou Torres, que fica de férias em Manaus até o final deste mês. Na primeira semana de fevereiro, retorna ao Rio de Janeiro, onde treina com o técnico Dedé Pederneiras.

 

História no UFC

Em 2010, Ronys Torres fez sua estreia no UFC. O amazonense, que tinha contrato assinado para quatro lutas na franquia, fez apenas duas. Perdeu ambas. Logo depois, foi cortado do evento sob a promessa de que, se garantisse quatro vitórias consecutivas em outros eventos, teria nova oportunidade. Já foram 14 vitórias e apenas um revés em pouco mais de 4 anos e o novo contrato ainda não surgiu.

 

Por Lidivan Franca

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir