Esportes

Ronys Torres é o novo dono do cinturão do ‘Mr. Cage’

MrCage-Arthur-Castro

Após ganhar o combate por finalização, o lutador amazonense dedicou a vitória para a mãe, que morreu recentemente – foto: Arthur Castro

Como já era de se esperar, o “Mr. Cage”, que é considerado o maior evento de MMA do Norte do país, foi um sucesso. O evento, com um total de 13 combates que rolaram das 17h até a meia-noite do último sábado (27), teve como destaque o confronto do lutador de Manacapuru, Ronys Torres (Nova União), contra o paraense Silmar Sombra (Team Nogueira), no main event pelo card principal.

Ronys garantiu a vitória por finalização no segundo round, e o cinturão continuou em mãos amazonenses. Mas, o que poucos sabiam era que o lutador passava por um momento delicado na família, pois sua mãe morreu recentemente. Após ser premiado, ele dedicou a vitória à família e disse que só ganhou devido à força que conquistava após cada combate no octógono.

“Estou muito feliz por ter ganho este cinturão, mas gostaria de dividir uma emoção com todos vocês. Minha mãe morreu tem pouco tempo. Ela não teve tempo de assistir a minha vitória e nem acompanhar o crescimento de minha filha, mas dedico esta vitória a ela”, declarou Ronys após ganhar o cinturão.

O lutador, que chegou a passar por uma temporada de três meses em Barcelona, na Espanha, e atualmente treina na Nova União do Rio de Janeiro (RJ), declara que sempre é bom retornar ao Amazonas para repor as energias e se manter motivado a seguir em frente, mesmo após a grande perda da mãe.

“Deus tem me ajudado sempre. Retornei a Manaus com três lutas marcadas e é delas que tenho tirado forças para me manter forte, mas não digo forte fisicamente, e, sim, mentalmente e sentimentalmente, pois quando luto eu tenho o apoio de todos na torcida, sem falar que aqui (Manaus) tenho meus amigos, que estiveram ao meu lado e viram eu crescer nessa caminhada de ser um lutador”, afirmou.

Presença ilustre

Dileno Lopes, do UFC, que ficou conhecido após a participação no reality show “TUF Brasil 4”, também marcou presença no evento, mas foi apenas para dar apoio aos colegas de Manaus. Na plateia, ele declarou que sempre é bom fazer parte de eventos como o ‘Mr. Cage’ e poder incentivar aos amigos a nunca desistirem do sonho de viver da luta.

“Eu já lutei no ‘Mr. Cage’ algumas vezes e foi um dos eventos que mais deram destaque em minha carreira. Hoje estou muito feliz em estar aqui junto de meus amigos e amigas, e sou a prova de que nunca devemos desistir de nossos sonhos. Ainda temos muitos outros talentos para serem descobertos aqui em Manaus, e não tenho dúvida que o ‘Mr.Cage’ irá desvendá-los para o mundo todo poder conhecê-los”, disse Dileno.

Revanche-Feminina-Arthur-Castro

Momento em que Estefani Almeida acerta sua oponente no Mr. Cage – foto: Arthur Castro

Revanche feminina

As meninas também fizeram bonito no card principal do “Mr. Cage”, e a luta entre Estefani Almeida (Cariocas Team) e Franciele Nascimento (Projeto Nandinho)provou a todos os presentes que tanto nos duelos masculinos quanto nos femininos o MMA amazonense está com tudo e cada dia mais qualificado.

A luta era uma revanche, pois as lutadoras já haviam se enfrentado na última edição do “Mr. Cage”, realizada em dezembro do ano passado. Na época, ambas estavam iniciando suas carreiras nas artes marciais mistas, mas a diferença era que Franciele só tinha o jiu-jitsu como defesa e Estefani tinha, além do jiu-jitsu, o boxe. E não deu outra, Estefani levou a melhor, pela categoria até 61 quilos.

Na famosa revanche, Franciele voltou preparada para ganhar o “tira-teima”, e, diferentemente da luta que havia perdido, teve um belo boxe aliado do jiu-jitsu. Ela garantiu os dois primeiros rounds, vencendo com a trocação que havia treinado pesado nos treinos.

Mas no terceiro round, Estefani voltou melhor e acabou acertando um soco de esquerda na representante do Projeto Nandinho, que não aguentou os dois primeiros minutos de luta e caiu no solo, perdendo por nocaute.

A desenvoltura de Estefani foi tanta, que venceu como melhor luta do evento, e a lutadora levou para casa um kit de luvas e joelheiras. Junto do marido e dos filhos, ela declarou que sabia que o combate não seria fácil, e que mesmo perdendo os dois primeiros rounds, voltou com toda força e garantiu a vitória após ver os filhos na torcida.

“Eles (filhos) nunca vêm me assistir nos combates, e ao vê-los na plateia me fortifiquei, pois eu não poderia perder na frente deles, que são tudo para mim. Graças a Deus, eu consegui e garanti este cinturão para eles”, declarou a vencedora da categoria peso-mosca, até 61 kg.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir