Esportes

Rogério Ceni critica diretoria do São Paulo por venda de jogadores

Após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, o goleiro Rogério Ceni criticou a diretoria do São Paulo por ter negociado muitos jogadores para pagar as dívidas do clube sem conseguir manter a qualidade da equipe.

“As pessoas falam do dinheiro. Trabalho nesse clube há 25 anos, mais cedo ou mais tarde isso se resolve, eu conheço bem. Agora, você perder seis, sete jogadores assim, enfraquece”, disse o capitão são-paulino, lembrando que o clube está próximo de completar quatro meses de atraso no pagamento de direitos de imagem para seus jogadores.

Para tentar aplacar a crise financeira, o São Paulo já negociou o zagueiro Paulo Miranda, para o Red Bull Salzburg (AUT), e o volante Denilson, para o Al Wahda (EAU). No entanto, a Justiça penhorou na terça-feira (30) parte do dinheiro dessas negociações para o pagamento de uma dívida do clube paulista com uma empresa envolvida na contratação do Jorginho Paulista, ex-jogador, em 2002.

Sem dinheiro, o clube não conseguiu renovar contrato de empréstimo com o zagueiro Dória. O acordo anterior acabou na terça e o jogador deve se reapresentar nos próximos dias no Olympique de Marselha (FRA).

O zagueiro Rodrigo Caio, que teve sua negociação com o Valencia cancelada, ainda tenta fechar acordo com o Atlético de Madri. Nesta quarta (1º), o clube informou que o volante Souza tem proposta de R$ 27,6 milhões do Fenerbahce (TUR) e também deve deixar o clube.

“A gente tinha uma expectativa duas semanas atrás, três semanas atrás, que muda totalmente. A gente entende a necessidade financeira do clube, mas eu tenho também a minha necessidade de ser campeão. São conflitos que a gente tem que resolver”, completou o goleiro.

O técnico Juan Carlos Osorio já havia mostrado preocupação com os desfalques da equipe após as saídas de Denilson, Rodrigo Caio e Paulo Miranda.

“É muito difícil para qualquer clube repor a ausência de três jogadores. Estamos trabalhando para fazê-lo, mas o time hoje já não é tão forte quanto há duas semanas”, disse na época.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir