Sem categoria

Rodoviários confirmam suspensão da greve após acordo entre prefeitura e empresários

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givanci Oliveira, destacou que agora não avaliará mais nenhuma proposta posterior feita pelos empresários e aguardará a decisão da Justiça - foto: divulgação/TRT

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givanci Oliveira, destacou que agora não avaliará mais nenhuma proposta posterior feita pelos empresários e aguardará a decisão da Justiça – foto: divulgação/TRT

Após reunião no Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT11), Zona Sul, entre representantes dos rodoviários, empresários e prefeitura, foi confirmada a suspensão da greve, que vinha ocorrendo desde o início do mês.

Exceto o compromisso de manter a normalidade do serviço, nenhum novo acordo foi proposto pelas partes no encontro desta terça-feira. O impasse sobre a data base e outras reivindicações feitas pelos rodoviários, continua até o próximo mês, quando será julgado o processo do dissídio da categoria. O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givanci Oliveira, destacou que agora não avaliará mais nenhuma proposta posterior feita pelos empresários e aguardará a decisão da Justiça sobre o reajuste salarial do coletivo.

“Não queremos mais acordo. Agora, a decisão sobre o nosso reajuste ficará por conta do julgamento do TRT. A direção do sindicato dos rodoviários sai da reunião muito satisfeita com a postura do vice-presidente do TRT e relator do dissídio, desembargador Lairton José Veloso, que se comprometeu em julgar a nossa data base até a primeira quinzena de junho, o que deixou a categoria bastante otimista. O prefeito Arthur Neto fez um apelo e nos convenceu a usar toda a estrutura da prefeitura para forçar os empresários a assinarem o acordo que garante o julgamento do nosso dissídio, sem que haja extinção. Agora estamos trabalhando juntos para que possamos vencer mais essa etapa”, salientou.

Já o assessor jurídico do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), Fernando Borges, disse que a proposta apresentada pelos trabalhadores está fora da realidade econômica do sistema de transporte e voltou a comentar sobre redução no valor do reajuste dos rodoviários como uma das medidas para continuar honrando com o pagamento salarial da classe.

Fernando frisou ainda que a greve no sistema de transporte da capital, vem prejudicando a receita das empresas. “Quem está numa situação de crise não se pode dar o luxo de perder receita, então, o recuo em relação à greve é algo extremamente favorável. Mas a nossa incapacidade econômica de arcar com novas despesas permanece”.

O procurado- geral do município, Marcos Cavalcante, que também esteve na reunião falou que o encontro foi uma medida usada pelo TRT-AM, de formalizar a garantia de suspensão das paralisações. “O convite do desembargador foi para manifestar a preocupação dele em relação as paralisações. Ele entendeu que o processo do dissídio dos rodoviários deve ser acelerado, já que é uma situação complexa. Ele se comprometeu em dar preferência ao julgamento”, finalizou.

Uma audiência de conciliação foi realizada na última sexta-feira (13), entre rodoviários e o Sinetram, na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Na ocasião foram apresentadas as propostas de ambas as partes, sendo que nem trabalhadores e nem patrões concordaram com os reajustes apresentados.

A princípio, os rodoviários reclamam um reajuste salarial de 20%, mas recentemente o presidente do sindicato, Givanci Oliveira disse que se os empresários, que nos últimos encontros ofereceram somente 5% de aumento, apresentarem uma proposta de 11%, os trabalhadores fechariam o acordo.

Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir