Dia a dia

Rodoviários ameaçam fazer greve ilegal nesta terça

Categoria exige o pagamento dos adiantamentos salariais. Uma nova paralisação deve ser feita na sexta-feira – Márcio Melo

Após encontrarem as contas vazias nesta segunda-feira (20), dia em que deveriam receber os adiantamentos de 40% dos salários – referentes ao mês de fevereiro, rodoviários ameaçam paralisar 70% da frota do transporte público da capital amazonense nesta terça-feira (21). Os ônibus devem ser impedidos de deixar as garagens a partir das primeiras horas do dia e não há previsão para o fim da paralisação.

De acordo com o secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM), Élcio Campos Rêgo, os trabalhadores não receberam os “vales” e acionaram a associação para exigir o pagamento dos empresários.

“Entramos em contato com os representantes das empresas de ônibus e fomos informados que eles não têm dinheiro para pagar a categoria. E olha que houve aumento da passagem de ônibus há quase um mês, mas mesmo assim eles alegam que não têm dinheiro em caixa”, relatou.

Ainda segundo Élcio Campos, os empresários, durante uma reunião realizada na semana passada, teriam dito que podem não cumprir com o acordo de reajuste salarial, além de outros benefícios que somam quase 16%, incluindo retroativo de 8% da cesta básica e mais 8% da perda inflacionária de 2016.

A greve considerada ilegal, já que não cumpre o prazo de 48 horas determinado pela Justiça entre o intervalo de declaração de greve e o início da paralisação, será contestada pelo Sindicato de Empresas do Transporte Rodoviário (Sinetram), pode acontecer novamente na próxima sexta-feira (24). Questionado sobre um possível pagamento de multa, o secretário disse que a categoria quer receber os adiantamentos e o sindicato vai cobrar dos empresários esses pagamentos, mesmo que precise arcar juridicamente.

Élcio informou que essa nova paralisação vai acontecer por tempo indeterminado. Ainda nesta tarde, por volta das 14h, a Prefeitura de Manaus, a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e o sindicado patronal teriam sido informados, por meio de um ofício, sobre a segunda paralisação.

O assessor jurídico do órgão, Fernando Borges, confirmou para a reportagem que houve atraso nos pagamentos devido à falta de verba nas empresas. Mesmo com o aumento do valor da passagem, os empresários garantem  que não existe dinheiro suficiente em caixa para manter o equilíbrio do sistema de transporte público.

“Realmente houve o atraso porque as empresas estão sem dinheiro em caixa para efetuar os pagamentos. Entretanto, hoje mesmo nós conversamos com a categoria e demos o prazo até a próxima quarta-feira para efetuar todos os pagamentos dos vales”, disse ele, que afirmou não ter sido informado pelo STTRM sobre a paralisação desta terça.

“Em nenhum momento nos foi informado que haverá essa paralisação. Nós estamos conversando com eles permanentemente, portanto, é muito estranha essa greve de última hora. Não houve nenhum aviso prévio. Estou sendo informado pela reportagem”.

Ainda de acordo com o assessor, se a greve for concretizada, as empresas deixarão de arrecadar mais de R$ 1 milhão, além de afetar mais de 250 mil usuários de Manaus.

A reportagem também encontrou em contato com Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), que informou que também não foi informada sobre a greve e que, após ter conhecimento do movimento pelo EM TEMPO, vai verificar junto aos empresários e rodoviários sobre as tratativas envolvendo a falta de pagamento.

Acordo

No último dia 10, os rodoviários suspenderam um indicativo de greve após entrarem em acordo com o chefe do Executivo municipal, Arthur Neto (PSDB). Além dos reajustes, os trabalhadores conseguiram o benefício de incluir um dependente em seu plano de saúde, pagos pela Prefeitura de Manaus.

Bruna Souza
EM TEMPO

1 Comment

1 Comment

  1. Joab

    21 de fevereiro de 2017 at 06:06

    …mas não avisaram que não fariam o depósito do dinheiro do pessoal. E os juros das contas que eles tem para pagar? Os credores irão cancelar os juros? E a comida que eles precisam para alimentar seus dependentes? Quem suprirá? A PREFEITURA PRECISA BANIR ESTES EMPRESÁRIOS DAQUI. NOVAS LICITAÇÕES JÁ! NOVAS EMPRESAS. TEM MUITA GENTE DE OLHO NO MERCADO DAQUI ESPERANDO UMA OPORTUNIDADE COM A DISSOLUÇÃO DESSE CARTEL QUE SUGA O POVO TODOS OS DIAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir