Política

Risco de atentado justifica ex-prefeitos em mesma cela

Os ex-prefeitos deverão permanecer na unidade prisional até decisão contrária do juiz da Vara de Execução Penal ou MPE – fotos: Ricardo Oliveira

Os ex-prefeitos deverão permanecer na unidade prisional até decisão contrária do juiz da Vara de Execução Penal ou MPE – fotos: Ricardo Oliveira

Presos na mesma cela no Comando de Policiamento Especializado (CPE) da Polícia Militar, localizado no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, os ex-prefeitos do interior do Estado, Adail Pinheiro (Coari); Mariolino Siqueira (Santa Isabel do Rio Negro); e Xinaik Medeiros (Iranduba) deverão permanecer na unidade prisional até decisão contrária do juiz da Vara de Execução Penal ou parecer do Ministério Público do Estado (MPE). A informação é do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam). Além disso, conforme a Divisão de Divulgação do tribunal, a manutenção dos réus no CPE é devido a risco iminente de ameaça de morte.

Conforme o órgão, o envio dos três presos à cela do CPE é uma recomendação da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e o setor de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública (SSP). O Tjam informa que cabe ao CPE o gerenciamento do espaço e a disponibilidade de apenas uma cela para o três ex-prefeitos.

Adail está preso há 2 anos e cinco meses no CPE, enquanto Xinaik está há sete meses e, por último Mariolino Siqueira, preso em 10 de maio deste ano. Todos três foram detidos no exercício do mandato, acusados de corrupção na administração municipal e, no caso de Adail, de exploração sexual de crianças e adolescentes na cidade de Coari.

Após a detenção, Adail e Xinaik – eleitos em 2012 – tiveram os respectivos mandatos cassados em processo encabeçado pelas câmaras municipais de Coari e Iranduba. Mariolino Siqueira, também eleito em 2012, enfrenta processo de perda de mandato no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Siqueira foi preso durante a operação Timbó deflagrada pelo Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e apoio da Secretaria Adjunta de Inteligência da SSP-AM, que desarticulou uma organização criminosa no município de Santa Isabel do Rio Negro, comandada pelo prefeito em que teria desviado, em 3 anos, mais de R$ 10 milhões dos cofres municipais.

O ex-prefeito de Iranduba Xinaik Medeiros se entregou à polícia no dia 10 de novembro de 2015, mesma data em que foi deflagrada a operação Cauxi do MP, que investigava o desvio de mais de R$ 56 milhões em verbas públicas, por meio de contratos de obras, serviços e aquisições de materiais.

Preso em Manaus desde 8 de fevereiro de 2014, Adail Pinheiro foi cassado pela Justiça Eleitoral e afastado do Executivo municipal de Coari após ser acusado de comandar uma rede de exploração sexual de crianças e adolescentes no município com envolvimento de secretários municipais.

Por equipe EM TEMPO

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir