Sem categoria

Rio Preto da Eva recebe mais de 13 mil pessoas  em evento evangélico

Conforme a coordenação do Campori, foram construídas 300 cozinhas, 350 banheiros, um sistema hidráulico para vazão de 1,5 mi de litros de água - foto: divulgação

Conforme a coordenação do Campori, foram construídas 300 cozinhas, 350 banheiros, um sistema hidráulico para vazão de 1,5 mi de litros de água – foto: divulgação

A cidade de Rio Preto da Eva – localizada no quilômetro 74, da rodovia AM-010, recebeu, do dia 2 a 7 desse mês, uma ‘cidade provisória’ para comportar 13 mil pessoas. O local foi criado para atender jovens e adolescentes que vieram de vários municípios do interior do Amazonas e também dos Estados do Acre, Rondônia e Roraima, para participar do 1º encontro do ‘Campori da União Noroeste Brasileira’, promovido pela igreja Adventista do Sétimo dia. O evento recebeu 330 clubes e foram construídas no local 3,5 mil barracas.

A realização do evento foi no campus do Instituto Adventista Agro Industrial (IAAI). Conforme a coordenação do Campori, foram construídas 300 cozinhas, 350 banheiros, um sistema hidráulico para vazão de 1,5 mi de litros de água, duas unidades de saúde, além do bloco cirúrgico do plantão no hospital de Rio Preto da Eva, gerenciados pelo Hospital Adventista de Manaus. Uma estrutura com sistema de energia elétrica em um terreno de aproximadamente 300 mil metros quadrados também foi montada.

De acordo com o coordenador da Associação Central Amazonas (Aceam), pastor Anderson Carneiro, a preparação para o evento, que acontece  a cada cinco anos,  já vinha sendo feita a mais de dois anos para que pudesse atender aos jovens da melhor forma possível. Ainda de acordo com Anderson, o município de Rio Preto vai ser beneficiado com a doação de um bloco cirúrgico para o hospital do município, cedido pelo Hospital Adventista de Manaus.

“Aqui, eles aprendem o civismo, a ordem, a organização, o planejamento, mas acima de tudo,  eles aprendem a se divertir e a serem felizes. Tentamos valorizar isso, formando cidadãos para este mundo e para o reino dos céus, então trabalhamos nessa direção”, disse.

Segundo o pastor, nos seis dias, os jovens fizeram um acampamento onde passaram por provas, recreação físicas, desafios mentas e atividades bíblicas e também atividades de conhecimento geral, sempre na filosofia do clube dos desbravadores, que tem o intuito de formar meninos e meninas ao lado de Deus.

Anderson Carneiro ainda disse que vários jovens saíram de seus Estados e cidades do interior do Amazonas para participarem do evento, em sua grande maioria veio de transporte fluvial, segundo ele, teve jovens que passaram quatro a cinco dias de viagem em barcos para chegar até a cidade de Manaus e depois daí se deslocarem até o município de Rio Preto da Eva.

Esse é o caso do estudante Pedro Henrique, 10, que veio do município de Carauari, junto com outros 14 estudantes, e passaram cinco dias de viagem em barco. Pedro conta que para participar do evento, ele e seus amigos foram em várias lojas do município buscando patrocínio dos empresários locais, e também fizeram pequenas vendas de trufas e salgados.

“Eu ia nas lojas para ver se as pessoas me ajudavam.Para vir até aqui, passamos cinco dias de barco e para voltar passaremos mais sete dias de barco”, contou Pedro.

Emocionada, Maria Cleide Brito, 60, que também veio do município de Carauari, trouxe quatro netos para do evento. Cleide conta que essa é a primeira vez que participa do Campori, e o que a deixou impressionada foi a dimensão do evento. “É muito difícil trazer eles no barco, mas é gratificante estar aqui, vendo a felicidade deles em participarem”.

Pastor Anderson  afirmou  também que o próximo evento vai acontecer em 2020, entretanto, segundo ele, a cada dois anos acontece os eventos regionais, e a cidade de Iranduba é quem poderá receber o evento, que deve reunir cerca de cinco mil desbravadores.

Henderson Martins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir