Sem categoria

Reunião do CAS é adiada novamente pela Suframa

Reunião do CAS estava marcada para o dia 28 de agosto e foi adiada para o próximo dia 23 - foto: divulgação

Reunião do CAS estava marcada para o dia 28 de agosto e foi adiada para o próximo dia 23 – foto: divulgação

A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) cancelou pela segunda vez a reunião do Conselho Administrativo da Suframa (CAS). Anteriormente agendado para o dia 28 de agosto, a autarquia que remarcou o encontro para esta terça-feira (2) e, ontem, voltou a reagendar a reunião provavelmente para o próximo dia 23 de setembro.

No ano passado, após a troca de comando da Suframa pelo superintendente interino, Gustavo Igrejas, em novembro, no lugar do atual secretário de Estado de Planejamento, Thomas Nogueira, as reuniões do CAS que costumeiramente ocorriam a cada dois meses, viveram um hiato de oito meses. A última reunião ocorreu em abril deste ano.

O cancelamento da reunião preocupa a indústria, de acordo com o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, por conta do histórico negativo que a autarquia vive.

“É preocupante porque nós estamos repetindo um filme que nós conhecemos. Dado a situação que vivemos hoje, sem uma regularidade das reuniões do CAS, corremos o risco muito grande de perda de negócios”, avaliou.

Insegurança

Para Azevedo, a falta de certezas sobre o CAS aumenta a insegurança da classe empresarial. “O empresário não vai arriscar o capital dele onde o ambiente de negócios não ofereça segurança. É lamentável o adiamento por mais uma vez. Essa indefinição, como diz o ditado popular, nos deixa com a pulga trás da orelha”, comentou.

“É um descaso grande para com uma superintendência de desenvolvimento para a Amazônia Ocidental. Parece que os gestores do governo federal não dão a menor importância para a Suframa”, criticou.

O economista e consultor de empresas, Assis Mourão, avaliou que a demora pela definição do nome para a Suframa prejudica o trabalho da autarquia. “Acho que o governo está com dificuldade de conseguir um nome para superintendente. Poderiam definir logo o Gustavo [Igrejas], que é um economista conceituado e sempre trabalhou na Suframa”, defendeu.

Mourão disse que, diante das dificuldades políticas, o superintendente interino conseguiu realizar uma reunião do CAS em abril, que e desafogou a fila de projetos a espera de deliberação. “Agora está tudo travado. Sem reunião atrasam todos os investimentos previstos e é provável que outros Estados ofereçam condições para que esses projetos sejam implantados nas suas cidades”, apontou.

Indefinição

Em nota, a autarquia informou que “por enquanto não há nenhuma confirmação quanto à nomeação de superintendente e a questão da qualificação da Suframa como Agência Executiva é um estudo que ainda não está fechado”.

Por Emerson Quaresma

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir