Sem categoria

Restaurante deve sair de local indevido em Parintins

O fato de o Restaurante Popular estar em área alagadiça comprometeu seu funcionamento – foto: Tadeu de Souza

O fato de o Restaurante Popular estar em área alagadiça comprometeu seu funcionamento – foto: Tadeu de Souza

Com as instalações hidráulicas e sanitárias totalmente comprometidas pela enchente, a Procuradoria do município de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus) vai entrar em contato com a direção da Caixa Econômica Federal para solicitar a transferência de todo equipamento de cozinha do restaurante popular de Parintins para outro local, bem como a utilização do prédio onde foi construído o logradouro para outra finalidade a fim de que ele não se torne um elefante branco na cidade.

Na semana passada, engenheiros e técnicos do município apresentaram o local para a imprensa mostrando a inviabilidade de seu uso como restaurante, já que a obra, segundo a secretária de Obras do município, Grace Garzon, foi toda construída numa área alagadiça, o que prejudicou o seu funcionamento.

O prefeito Alexandre da Carbrás disse que concluiu a obra porque foi notificado pela direção da Caixa Econômica Federal para que terminasse a obra ou então o município seria obrigado a devolver 100% do recurso empregado no local. “Não tivemos alternativa a não ser cumprir o convênio, até porque aquela altura a prefeitura não tinha a menor condição de devolver nenhum recurso, mas entendo que seria um crime eu instalar um restaurante aqui nessas condições. Eu seria irresponsável se assim procedesse. O local está inviabilizado do ponto de vista sanitário para instalação de um restaurante”, afirmou Carbrás.

A secretária Grace Garzon confirmou que iniciou um procedimento técnico para justificar junto à Caixa Econômica Federal a readaptação do prédio para o uso com outra finalidade.

A prefeitura iniciou a construção do Restaurante Popular de Parintins em 2008, no auge das políticas assistencialistas do governo do ex-presidente Lula, quando administrava Parintins o deputado estadual do PSDB, Frank Bi Garcia. A conclusão aconteceu somente em 2013, já na gestão do prefeito atual de Parintins.

O deputado Frank Bi Garcia negou que tenha construído o Restaurante Popular em área alagadiça. “Quando iniciamos a obra o local não inundava. Somente a partir das enchentes de 2012 é que a rua começou a alagar, e mesmo assim tomamos a precaução de construí-la acima do nível da rua”, afirmou.

Indagado sobre o motivo de construir o restaurante no local, o parlamentar tucano disse que o fez porque o bairro Itauna I era, na época, o que concentrava o maior número de famílias carentes.

O vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro Itaúna I, Wanderley Linhares, aprova a ideia da prefeitura em dar outra destinação ao prédio. “Moro há cinco anos aqui e vejo com tristeza essa situação, sempre soube que isso aqui ia ao fundo, então acho que não podemos é deixar o dinheiro público abandonado”, declarou.

Por Tadeu de Souza (equipe EM TEMPO)

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir