Política

Responsabilidade por ‘pedaladas fiscais’ não é de ex-secretário, diz FHC

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse nesta sexta-feira (19) que a responsabilidade pelas “pedaladas fiscais” do governo não pode ser atribuída ao ex-secretário do Tesouro Nacional Arno Augustin.


O ex-secretário assinou uma nota técnica no fim do ano passado em que reforçou a avaliação de que a autorização para liberação de recursos do Orçamento é de responsabilidade da sua pasta.

“Ele pode reconhecer o que quiser, a responsabilidade não é dele”, disse FHC, sugerindo, sem fazer citação, que a culpa seria da presidente Dilma Rousseff. “[A responsabilidade] É em cima. Ninguém toma essas decisões em nível de um secretário.”

O relator das contas, ministro Augusto Nardes, do TCU (Tribunal de Contas da União), cobrou do governo um documento, assinado por Dilma, explicando 13 irregularidades que impediram a aprovação de suas contas de gestão de 2014.

FHC disse que, se as contas do governo forem realmente recusadas, será “um fato grave” e inédito no país. “Cobrar explicações diretamente da presidente da República é inédito”, disse FHC.

Ele afirmou ainda que há motivos para a rejeição das contas do governo, embora tenha admitido desconhecer detalhes do relatório do ministro do TCU. “Há pelo menos fortes ressalvas. Nunca houve tanto abuso da Lei de Responsabilidade Fiscal”.

FHC foi homenageado nesta sexta, no Rio, pela Firjan (Federação das Indústrias do Rio).

ECONOMIA

Pouco antes de conversar com jornalistas, em seu discurso, o ex-presidente disse que um governo que gasta mais do que pode, com indisciplina nas finanças públicas, seria inviável.
“É ilusão acreditar que é possível crescer uma economia simplesmente dando mais crédito e incentivando o consumo. O ministro Pedro Malan sempre dizia que é fácil fazer crescer a economia, o difícil é sustentar seu crescimento”, disse.

Para FHC, o país paga um preço alto pelo “desatino” praticado pelos governantes nos últimos anos. “Houve perda de confiança da sociedade agora por uma acumulação de erros. E isso num momento que o Brasil precisava acertar seu passo no mundo”, disse ele.

VENEZUELA

O ex-presidente também comentou sobre a visita dos senadores da oposição a Caracas na última quinta-feira (18). Para Fernando Henrique, a atuação do governo brasileiro não foi satisfatória.

“É algo grave, uma desconsideração a senadores brasileiros com leniência do governo, pelo menos, porque não deu garantias nem segurança. É estranho que o embaixador não estivesse o tempo todo com eles”, disse.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir