Cultura

Repertório brasileiro será apresentado no projeto ‘Quintas, Cias. e Ideias’

O grupo faz parte de um projeto de extensão dos alunos do curso de música da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) - foto: divulgação

O grupo faz parte de um projeto de extensão dos alunos do curso de música da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) – foto: divulgação

O público que for conferir o projeto “Quintas, Cias. e Ideias”, amanhã (7), poderá escutar músicas genuinamente brasileiras na apresentação do grupo Camerata de Choro, às 20h, na sede do Casarão de Ideias, localizada na rua Monsenhor Coutinho, 275, Centro. O grupo faz parte de um projeto de extensão dos alunos do curso de música da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A entrada no evento é franca.

O repertório será composto por peças musicais de artistas bastante executados, como Pixinguinha, Benedito Lacerda, Ernesto Nazaré, Valdir Azevedo e Jacob do Bandolim.

Para o gestor do Casarão de Ideias, João Fernandes, a apresentação do Camerata de Choro vem reforçar o papel de difusão cultural da instituição.

“Esse será mais um estilo musical que vamos apresentar no espaço. Dentro do projeto, nós já tivemos shows de Música Popular Brasileira (MPB), música clássica, e agora o chorinho vem fortalecer ainda mais o nosso slogan ‘Casarão de Ideias, um lugar para todas as artes’”, disse o produtor cultural.

De acordo com o professor do curso de música da UEA e maestro do Camerata de Choro, Arcângelo Brasil, é gratificante existir espaços como o Casarão de Ideias para realizar shows voltados a esse gênero musical.

“O Casarão nos dá a satisfação de fazer uma apresentação com muita energia positiva, pois o local nos proporciona isso e ainda oferece ao público uma música que é legitimamente brasileira”, declarou o docente.

Ainda segundo o músico, espetáculos de choro não são comuns em Manaus porque se trata de um dos gêneros musicais mais complexos de serem executados.

“Exige dos seus intérpretes altas qualidades musicais, o que impede a sua abordagem por músicos que não preencham essas exigências. No nosso grupo existe uma diferenciação, pois no repertório há uma série de músicas instrumentais e outras com melodias cantadas, ou seja, com letras”, adiantou.

História do grupo

Segundo o maestro, o Camerata de Choro surgiu devido à necessidade de integrar os professores e os alunos que ministram e fazem, respectivamente, as disciplinas de Instrumentos, Harmonia e Contraponto na UEA.

“O aluno tem assim uma oportunidade de colocar em prática suas habilidades como instrumentistas em executar peças do repertório de choro dos compositores brasileiros, bem como arranjador ou compositor de peças de sua própria criação, consolidando os conhecimentos em sala de aula. O grupo também funciona como um elo com a comunidade, na medida em que músicos locais podem vir a ser participantes”, finalizou.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir