Dia a dia

Reintegração de posse retira cem famílias da invasão Bom Pastor, Zona Norte de Manaus

As famílias estão sendo retiradas de forma pacífica - foto: Josemar Antunes

As famílias estão sendo retiradas de forma pacífica – foto: Josemar Antunes

Cerca de 100 famílias estão sendo retiradas da comunidade Bom Pastor, localizada nas proximidades da avenida Torquato Tapajós, Zona Norte da cidade, durante reintegração de posse na manhã deste quarta-feira (14).  A área, que foi invadida há cinco meses, mede 350 mil hectares.

A ação ocorre de forma pacífica, com a participação de aproximadamente 100 policiais militares da Ronda Ostensiva Candido Mariano (Rocam), Batalhão da Polícia de Choque, Cavalaria, Grupamento de Operações Especiais (CPE), além de policiais civis, Corpo de Bombeiros, Serviço de Urgência Móvel (Samu) e Defensoria Pública, que estão dando suporte no local.

De acordo com uma das invasoras, a diarista Gorete Oliveira, 49, os moradores foram pegos de surpresa. “Não fomos avisados sobre a reintegração. Eu estava trabalhando e quando cheguei agora pela manhã não deixaram eu entrar na minha casa”, disse a mulher.

O cabo Jozinaldo Silveira, da cavalaria da Polícia Militar, informou que o proprietário do terreno, empresário João Marcos Pozzette, disponibilizou dois ônibus de transporte especial e mais de quatro caminhões baú para realizar a mudança dos moradores, porém, até o momento, não se sabe para onde eles serão levados.

O servente de pedreiro Leno Teixeira,34, que mora na comunidade há seis meses, falou que a ação não está sendo de forma pacifica, já que a polícia chegou ao local por volta das 6h, mandando todos sair e quebrando as casas com um trator.

“Eu estava dormindo quando eles chegaram, quebrando tudo, não fomos avisados. Eu comprei esse terreno, não invadi nada, comprei e paguei”, disse o servente.

O homem afirmou ainda que os policiais não deixaram a população retirar os pertences de dentro das residências. “Eles estão abusando da autoridade, não deixaram eu retirar nada da minha casa. O prazo para sair tem que ser de 24h, mas eles não deram nenhum minuto, todos formos expulsos”, concluiu o morador.

Outra moradora identificada como Maria Lurdes, 56, afirma que teve a casa demolida pelo trator com todos os seus pertences dentro e fala que não tem para onde ir. “ Não sei para onde vou, não sei para porque eles mandaram esses ônibus e caminhão baú, já que quebraram todas as nossas coisas, não tenho nada, a minha casa foi demolida” lamentou a dona de casa.

A reintegração de posse foi uma ordem expedida pela juíza da 10ª Vara Cível, Monica Goldin.

Por Mara Magalhães

Com informações de Josemar Antunes

Texto atualizado às 11h para inserção de novas informações.

1 Comment

1 Comment

  1. natanmara

    27 de outubro de 2015 at 14:35

    acho um absurdo isso,essa reintegração pois se estão na casa e porque precisam dava pra que também morando se e alugado da pra pessoa que está alugando pois essa que ganhou não precisa por se precisasse estava morando na residência. obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir