Sem categoria

Rede Sustentabilidade sem pressa para definir nomes, diz partido

Membros da executiva registraram em ata a fundação do diretório regional no Amazonas logo depois do deferimento da Rede pelo TSE - foto: arquivo EM TEMPO

Membros da executiva registraram em ata a fundação do diretório regional no Amazonas logo depois do deferimento da Rede pelo TSE – foto: arquivo EM TEMPO

Confirmada a criação do partido Rede Sustentabilidade pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na noite dessa terça-feira (22), no Amazonas, a legenda que perdeu o seu principal nome virtual para disputar a prefeitura de Manaus, nas eleições de 2016, agora busca sem pressa a redefinição de nomes para o pleito.

O partido, que logo depois do deferimento em Brasília registrou em ata a fundação da executiva em Manaus, agora buscará os devidos registros junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) para de fato existir no Estado.

De acordo com a porta voz da Rede no Amazonas, Luciana Valente, apesar de filiados como o deputado estadual Luis Castro, é muito cedo para tratar sobre candidaturas majoritárias. “Eu acho precipitado falar sobre nomes para candidatura a prefeitura. O Luis Castro é um parlamentar identificado com as causas da Rede, mas ele vai participar da construção do programa para Manaus como outras pessoas que vão nos ajudar nesse processo”, disse.

Segundo ela, somente depois da formatação do programa da Rede que a legenda identificará quem serão os nomes que disputarão as eleições. “Queremos ser um partido coletivo, sem estrelas. Hoje, principalmente no interior, há uma cultura forte de personalismo. Mas, nós queremos romper com essa cultura. Queremos pessoas que de fato representem a população e não a si mesmo. Queremos um partido de ideias e não de pessoas”, sentenciou.

Na semana passada, o principal nome que se desenhava para a Rede no Amazonas, o ex-deputado Marcelo Ramos, se filiou ao Partido da República (PR), do ex-prefeito de Manaus e senador pelo Amazonas Alfredo Nascimento. Ele disse não estar arrependido da decisão de não ter esperado a Rede, mas a classificou como um instrumento importante à democracia. “Tomei uma decisão consciente. Eu sabia do parecer favorável e agora torço muito para que dê tudo certo. E digo mais: é importante para a construção do Estado”, avaliou.

Mas, mesmo com a torcida de Ramos, o tempo é curto para que filiados estejam aptos às eleições do próximo ano, uma vez que prazo legal encerra em nove dias. Conforme o membro da executiva em Manaus, Tarcius Fernandes a legenda procura integrar o maior número de filiados a fim de encontrar entre eles potenciais candidatos. “Temos que cumprir o prazo de um ano antes das eleições. A nossa expectativa é que com a finalização do processo de organização, nós teremos um nome certo para disputar o pleito”, explicou.

Segundo Tarcius, o esforço da Rede tem sido com a formação de seus filiados e pessoas que querem colaborar com a legenda, em pontos como o estatuto da legenda e conceitos como sustentabilidade e direitos humanos. “O filiado precisa saber que tipo de política nós queremos fazer. Uma nova política que foge completamente do convencional”, observou.

PSB ajuda na organização da Rede

Na agenda da Rede está prevista a realização da segunda Convenção do Elo Regional, para os dias 10 e 11 de outubro. O encontro acontecerá na Câmara Municipal de Manaus (CMM). O local foi escolhido, segundo Tarcius, por não gerar ônus à legenda. “Como ainda não temos fundo partidário, ou outra fonte de renda, nos escolhemos a Câmara”, explicou.

O presidente de honra do PSB, deputado estadual Serafim Corrêa, disse que apoiou a criação da Rede desde o começo e torce para que ela se organize em tempo hábil para concorrer às eleições em Manaus. “Apoiamos desde início todo mundo. Cumprimentei a todos porque essa luta eu apoio. Mas, vejo que agora é o momento certo para que eles se organizem e depois vejam o nome que irá representá-los nessas eleições”, disse.

Segundo o parlamentar, que solicitou o espaço para o encontro da Rede, está será uma oportunidade de ajudar um “irmão” político que ainda está dando os primeiros passos no cenário local e nacional. “É um partido co-irmão e estamos ajudando em tudo o que eles precisam. Muitos ainda fazem parte do PSB e estão só esperando o registro para se filiar. Enquanto o PSB puder ajudar, nós estaremos ajudando”, declarou Serafim.

Por  Emerson Quaresma e Lindivan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir